Quem quer administrar o Chico Mendes?

Os 60 milhões de hectares de unidades de conservação brasileiras continuam sem um administrador permanente. São centenas de parques, estações ecológicas, reservas biológicas e reservas extrativistas que aguardam sair da coordenação provisória. Grande parte do que restou de mata intacta do país está dentro dessas áreas protegidas. A situação caótica das unidades de conservação começou em 06 de Junho, um dia após as comemorações do dia internacional do meio ambiente. Foi quando o ministro Carlos Minc destituiu João Paulo Capobianco da presidência do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). O grande problema é que nenhum dos novos convidados de Minc para assumir o ICMBio aceitou a proposta. O Instituto surgiu há um ano atrás a partir de uma polêmica divisão do Ibama, mas nunca teve verba nem quadro técnico suficiente para fazer a gestão das unidades de conservação. É considerado com um dos grandes abacaxis herdados da administração Marina Silva. Depois de muitas recusas, a solução encontrada por Minc para colocar alguém na presidência do ICMbio foi tão criativa quanto seus coletes coloridos. Ele lançou um edital onde um comitê de pessoas vai analisar “currículos” de prováveis candidatos para o cargo. Entre os membros do comitê estão: A ex-ministra Marina Silva, Paulo Nogueira Neto, Cláudio Pauda, Fábio Feldman e o próprio João Paulo Capobianco. O candidato deve ser:I – Brasileiro NatoII – Ser formado em alguma instituição reconhecida pelo Ministério da EducaçãoIII – Possuir no mínimo dez anos de gestão em atividades relacionadas a questão ambiental (?)IV – E claro, ter alguma proposta de Gestão para Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).Alguém se habilita a enviar o currículo?(Juliana Arini)
Fonte: Blog do Planeta 09/07/2008

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Rio São Francisco - A extinção da caatinga (ESTUDO)

O risco da caatinga virar um deserto"A vegetação típica do Nordeste está literalmente sumindo do mapa