Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2011

Caatinga: Povoado em PE busca sobrevivência por meio da extração ilegal de madeira.

Até a década de 1940, quase todo mundo em Caroalina vivia do caroá. A planta gera uma fibra boa e resistente, que, no passado, já sustentou cidades inteiras. Atividade em cidade pernambucana depende do corte de árvores nativas.

Antes do desenvolvimento da indústria têxtil, em meados dos anos 40, a população tirava o sustento da venda de fibra do caroá, planta da família do abacaxi, utilizada na fabricação de cordas. Mas, com a chegada das fibras sintéticas, a fábrica que utilizava a matéria-prima produzida no povoado foi fechada e atualmente, a planta é usada apenas por algumas mulheres que fazem artesanato. Sem alternativa, a população de Caroalina viu no carvão a principal opção para a subsistência de suas famílias. O problema é que a atividade depende do corte de árvores nativas da caatinga, que só pode ser feito com autorização prévia do governo. São poucas as pessoas no povoado que têm essa autorização.
(Fonte: Globo Rural - 17/07/11)

Projeto busca formas de garantir a permanência das famílias em Canudos.

A cidade, na Bahia, palco da guerra no final do século 19, foi reconstruída mais de uma vez. Hoje, ainda é um dos municípios mais pobres do Brasil.
A cidade de Canudos, na Bahia, palco da guerra no final do século 19, foi reconstruída mais de uma vez. Hoje, ainda é um dos municípios mais pobres do Brasil.
Para mudar essa realidade, a Universidade do Estado da Bahia, criou o Projeto Canudos, com a participação de mais de 40 organizações.
No fim do século 19, um homem magro, de barba e cabelos longos chegou a Canudos pregando o fim da injustiça social.
“Canudos era uma cidade trevo. Tinha estrada para todos os lados. Era um lugar de movimento. Ele pensou em se estabelecer no lugar com os seguidores”, explica o documentarista Claude Santos.
O pequeno grupo virou uma multidão em volta de Antonio Conselheiro. A revolta popular se transformou em guerra.
“Na realidade, se queria consolidar a República. Grupos políticos estavam brigando, querendo derrubar Prudente de Morais. O povo de Canudos …

Novo calango é encontrado na caatinga.

Imagem
Descoberta recente do Tropidurus jaguaribanus na região sertaneja cearense mostra haver no Estado uma biodiversidade pouco conhecida e explorada em pesquisas científicas. Uma nova espécie de lagarto é cientificamente reconhecida e enriquece a biodiversidade do sertão cearense (Foto: Arquivo Pessoal)

Na região sertaneja, mais especificamente nas localidades do Vale do Jaguaribe, região leste do Ceará, foi encontrada uma nova espécie de lagarto. A descoberta foi reconhecida cientificamente em junho com a publicação do trabalho no periódico Zootaxa, da Nova Zelândia. Dentro de um projeto maior do Núcleo Regional de Ofiologia (Nurof-UFC), os professores universitários Daniel Cassiano e Daniel Cunha iniciaram, em 2008, uma comparação entre as espécies de lagartos popularmente conhecidos como calango-de-lajeiro. Na região jaguaribana já foram localizadas um total de três espécies diferentes, porém, durante a análise, os professores universitários perceberam diversidades em cor e tamanho, além …

Projeto resgata cultura sertaneja.

Imagem
Alunos do 1º ano do Ensino Fundamental da Escola Modelo, em Iguatu (CE), conhecendo sobre aspectos sociais e culturais do sertanejo, que é desconhecido por muitos. O objetivo é fortalecer a tradição nordestina.
Apesar de viverem em cidades do interior, muitas crianças têm uma vida com características urbanas. Moram nas cidades e se divertem com jogos eletrônicos, sem conhecerem brincadeiras, modos de produção e de vida do sertão. O passado, mesmo recente, é desconhecido para milhares de adolescentes. Com o objetivo de mostrar um pouco da realidade social e cultural do sertanejo, a Escola Modelo de Iguatu desenvolveu o projeto Coisas do Sertão, que permitiu resgatar aspectos históricos e atuais das atividades diárias na zona rural. Na véspera das festividades de São João, as atividades também estiveram voltadas para a cultura musical nordestina, danças típicas, trajes e instrumentos musicais. Os alunos do 1º ano do Ensino Fundamental da instituição tiveram a oportunidade de conhecer sobr…

O maior ritmista do país

Imagem
Há 90 anos nascia Jackson do Pandeiro, o artista que cantou a realidade do povo e influenciou gente como Gilberto Gil, João Bosco, Chico Buarque e Lenine.

Por: William Costa

No dia 31 de agosto de 1919, nascia em Alagoa Grande, no Brejo Paraibano, José Gomes Filho, primogênito do casal formado pelo oleiro José Gomes e a cantora de coco Flora Mourão, cujo codinome, Jackson do Pandeiro, marcaria para sempre a história da música popular brasileira. Jackson do Pandeiro é considerado não só o artista de recursos vocais sofisticados, de jeito alegre e malandro, mas o maior ritmista do país. Junto com o pernambucano Luiz Gonzaga, cantou a realidade do povo pobre do Nordeste e foi, nas décadas de 50 e 60 do século passado, um ídolo nacional. No tempo em que sua fina e negra estampa brilhava nos palcos do país, principalmente os do Rio de Janeiro, fez o povo esquecer a tristeza advinda da vida difícil, cantando os sucessos eternizados nos discos que gravou nas cinco gravadoras pelas quais passou,…

Parque Nacional de Sete Cidades completa 50 anos de criação.

Imagem
Parque Nacional de Sete Cidades -Foto divulgação: IBAMA De acordo com vários historiadores brasileiros, as formações encontradas no Parque Nacional de Sete Cidades abrigaram a nação indígena Tabarana, formada pelas tribos dos Quirirus e dos Jenipapos. A área dominada por este grupo se limitava ao norte pela região costeira, a oeste pelo rio Parnaíba, ao sul pelo rio Poty e a Leste pela Serra da Ibiapaba.
O Parque Nacional de Sete Cidades completa este ano 50 anos de criação. O parque é uma Unidade de Conservação federal, integrante do Sistema Nacional de Unidades de Conservação, administrada pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, ICMBio. Foi criado em junho de 1960 em virtude, principalmente, da existência de formações geológicas de grande beleza cênica (fotos abaixo). O parque tem cerca de 6.221 hectares e encontra-se numa zona de transição, tendo características de caatinga e cerrado, bem como fauna e flora destes dois biomas. Localiza-se nos territórios dos mun…

A Reserva Serra das Almas.

Imagem
Reserva Serra das Almas está localizada em Cratéus (CE).

Por Roberto Macêdo (*)

Há mais de uma década, quando, juntamente com um grupo de pessoas motivadas por Samuel Johnson, um empresário norte-americano que resolvera doar uma área para preservação da Caatinga em retribuição aos ganhos que tivera em sua atividade de extração da cera da carnaúba no Ceará, aceitei o desafio de me dedicar ao trabalho de recuperação de áreas degradadas da Caatinga.
Muita gente pode até não acreditar, mas em pleno semiárido cearense existem lugares de natureza exuberante, com rica fauna e flora próprias da Caatinga. A Reserva Natural Serra das Almas (RNSA), situada no município de Crateús, é um deles, sendo um exemplo de como se adotando medidas adequadas de manejo a recuperação se manifesta em toda sua potencialidade e diversificação. Em uma área com mais de seis mil hectares, que possui três nascentes, essa reserva abriga centenas de espécies vegetais, que vão do jatobá e da aroeira a macambiras e croatás…

Conheça a Arara-azul-de-lear.

Ela já esteve criticamente ameaçada de extinção e hoje sobrevive na região de Jeremoabo, no sertão da Bahia. A arara-azul-de-lear tem a bochecha amarelada e é menor do que outras espécies.
A arara-azul-de-lear (Anodorhynchus leari) é uma ave da família Psittacidae, originalmente encontrada nas matas brasileiras, hoje é vista raramente e o seu estado de conservação é crítico. Pode ser encontrada no interior do estado da Bahia. Essa arara torna-se madura para a reprodução aos 3 anos e sua época reprodutiva é entre novembro e março. Normalmente nascem 2 filhotes por vez e a gestação dura em torno de 30 dias. Depois do nascimento das araras azuis, elas ficam cerca de 3 meses no ninho sob cuidado dos pais, até se aventurarem no primeiro voo. Restrita à caatinga baiana, na ecorregião do Raso da Catarina, mais precisamente nos municípios de Canudos, Euclides da Cunha, Jeremoabo, Monte Santo, Santa Brígida, Paulo Afonso, Sento Sé e Campo Formoso, a Arara-azul-de-lear é uma das aves brasileiras m…

Boqueirão da Onça : o parque que virou mosaico.

Imagem
Paisagem no Boqueirão da onça: pressão contra o parque nasceu na Bahia selvagem e chegou à Brasília burocrata. Os estudos atuais em negociação com o ICMBio, Ministério das Minas e Energia e governo da Bahia não falam mais em um grande parque. Foto: Celso Calheiros (O Eco Reportagens)
Boqueirão da Onça (BA) - Era uma vez um parque. Uma ideia de parque, na verdade. O plano era dar proteção integral a cerca de 900 mil hectares no coração da Caatinga. O parque no Boqueirão da Onça sonhado fica em uma região de difícil acesso, com terra pouco valorizada, poucas estradas (nenhuma pavimentada) e com pouca gente em volta – três habitantes por mil quilômetros quadrados. Perfeito para a conservação.

A necessidade de se criar áreas de conservação na Caatinga é real. É o bioma em região de semiárido com maior diversidade de espécies no mundo – e também o mais populoso. De acordo com dados do Ministério do Meio Ambiente divulgados esse mês, sua vegetação original perdeu mais de 45% com desmatamento…