Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2008

PEC do Cerrado e da Caatinga

Imagem
Integrantes da Frente Parlamentar Ambientalista participaram às 14 horas do dia 26.11 de ato em favor da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 115/95, que reconhece o Cerrado e a Caatinga como biomas nacionais. O evento foi realizado na sala da Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável.Na oportunidade foi entregue ao presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia, um documento com assinaturas em defesa da PEC. A entrega ocorreu no gabinete da Presidência. Maior proteção, o reconhecimento do Cerrado e da Caatinga como biomas nacionais dará a essas regiões o mesmo sistema de proteção da Floresta Amazônica, da Mata Atlântica, da Serra do Mar, do Pantanal Mato-Grossense e da Zona Costeira. De acordo com a Constituição, as áreas desses patrimônios só podem ser usadas em condições que assegurem a preservação do meio ambiente, inclusive quanto ao uso dos recursos naturais.O presidente da Câmara já informou, em ocasiões anteriores, que a PEC do Cerrado e Caatinga está entre as priori…

Comissão Nacional de Combate à Desertificação se reúne em Fortaleza

Imagem
A Comissão Nacional de Combate à Desertificação (CNCD) se reuniu, pela primeira vez, nesta quarta-feira, dia 26, em Fortaleza (CE). O ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, deu posse aos membros e abriu as discussões em torno do regimento interno do órgão. No evento, foi apresentado o Programa Nacional de Combate à Desertificação e Mitigação dos Efeitos de Seca - PAN-Brasil.
A CNDC reúne dez ministérios e cabe à Comissão estabelecer estratégias para o combate à desertificação e diminuição dos efeitos da seca, bem como medidas necessárias para erradicar a pobreza no Semi-Árido. Além disso, ela tem a finalidade de implementar compromissos assumidos pelo Brasil na Convenção das Nações Unidas de Combate à Desertificação e Mitigação dos Efeitos da Seca.
A idéia é que as ações propostas sejam capazes de assegurar a adaptação das populações do Semi-Árido e seus governos às mudanças climáticas atuais. Na reunião desta quarta-feira foram apresentadas propostas de políticas públicas que serão de…

Aquecimento podará crescimento do Nordeste

Imagem
O aquecimento global secará 11,4% do PIB do Nordeste brasileiro de 2050. O dado está num estudo sobre migração, mudança climática e saúde pública elaborado pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) e pela Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz).
De acordo com a pesquisa, o aquecimento global provocará perda de áreas aptas para agricultura no Nordeste, prejudicará a economia da região e, conseqüentemente, impulsionará a migração de pessoas.
O percentual de perda do PIB equivale a aproximadamente dois anos de crescimento da economia da região, se for levado em conta o desempenho verificado entre 2000 e 2005.
A previsão considera a concretização do cenário mais grave apresentado pelo IPCC (painel do clima das Nações Unidas), em que o aumento da temperatura na área analisada será de 4C° até 2070.
Nas modelagens criadas pelo grupo, só o Ceará perderá 79,6% de terras agricultáveis. Na seqüência, os Estados que mais perderão áreas para plantio são Piauí (-70,1%), Paraíba (-66,6%) e Pernambuco (-6…

Prioridade no combate à desertificação

Imagem
Foto: LEOPOLDO NUNES

O combate à desertificação é uma das prioridades do Ministério do Meio Ambiente. A afirmação foi feita pelo ministro Carlos Minc, durante a I Conferência sobre Mudanças Climáticas: Implicações para o Nordeste, que ocorreu nesta quarta-feira (26), no Centro de Treinamento Passaré, em Fortaleza, Ceará. No evento, que encerrou o II Seminário sobre Mudanças Climáticas: Implicações para o Nordeste, iniciado na última segunda-feira, o ministro recebeu a "Carta de Fortaleza", um documento feito pelos especialistas presentes ao seminário, contendo sugestões de políticas públicas a serem adotadas para enfrentamento do problema.
De posse do documento, Minc frisou que, além dos convênios e parcerias que estão sendo fechados com os governos dos estados nordestinos, espera a aprovação do Fundo Nacional de Mudanças Climáticas, que destinará R$ 300 milhões à mitigação do problema. "Deste total, entre 60% e 70% serão destinados ao Nordeste. Não somos um ministério c…

Desertificação foi tema de reunião do Comitê da Caatinga

Imagem
A reunião promovido pelo CERBCAA-PE, no último dia 13.11 no IPA em Recife(PE) contou com especialistas de várias Instituições para discutir o tema da DESERTIFICAÇÃO no Nordeste e especificamente no Estado de Pernambuco. O resumo da reunião está publicado abaixo:

• Presenças: Elcio Alves de Barros – Coord. do CERBCAA-PE; Débora Coelho – UFPE; Edneida Cavalcanti – FUNDAJ; João Gominho – Engenheiro Florestal; Ricardo Padilha – Consultor MMA; Fabiana Alves – GTZ; Norbert Wende – GTZ; Fernando Mota – Professor da UFPE; Marcos Alves - Professor da UFPE; Rita de Cássia Araújo – IPA; Luciano Accioli – EMBRAPA SOLOS; Antonio Raimundo – IPA; Fernando Gallindo – IPA;
• Após as apresentações o consultor Ricardo Padilha contextualizou a questão da desertificação dentro do MMA. Expressando sua opinião e que esta reunião é uma oportunidade de discutir com várias entidades que tratam da desertificação destacando que o CERBCAA-PE pode ser um elemento de aproximação dos vários entes nele representado com…

Reunião sobre desertificação

Imagem
Conforme determinado na XIII Reunião Ordinária do CERBCAA-PE (realizada na Fundaj em 29.10) o Comitê realizou no último dia 13 de novembro no IPA, uma reunião que contou com a presença do consultor do MMA para desertificação, Ricardo Padilha e membros do comitê que lidam com a temática da desertificação de forma direta ou indireta, além de técnicos de instituições que trabalham com este tema. A reunião teve a coordenação de Elcio Barros.
O Professor Fernando Mota da Universidade Federal de Pernambuco-UFPE apresentou o trabalho realizado por ele e sua equipe, sob o título:
“Processos e mecanismos de desertificação no estado de Pernambuco - Nordeste Brasileiro - com especial referência ao núcleo de Cabrobó: município de Belém do São Francisco”.
O referido trabalho teve como objetivo geral realizar levantamento do atual quadro do processo de desertificação no Estado de Pernambuco de forma a poder avaliar a evolução do processo nos últimos 30 anos e implementar técnicas de recuperação de sol…

Comitê da Caatinga promoverá em São Caetano (PE) o " II Seminário para criação de RPPN"

Imagem
Foto: RPPN Pedra do Cachorro em 06/11/2008


O Comitê Estadual da Reserva da Biosfera da Caatinga - CERBCAA/PE, com o apoio da Prefeitura de São Caetano (PE) promoverá no dia 10/12/2008 (quarta-feira) a partir das 08:30h o "II Seminário para criação de reservas particular do patrimônio natural (RPPN)." Brevemente divulgaremos a programação completa do evento.
Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) é uma categoria de unidade de conservação criada pela vontade do proprietário rural, ou seja, sem desapropriação de terra. No momento que decide criar uma RPPN, o proprietário assume compromisso com a conservação da natureza.Além de preservar belezas cênicas e ambientes históricos, as RPPNs assumem, cada vez mais, objetivos de proteção de recursos hídricos, manejo de recursos naturais, desenvolvimento de pesquisas cientificas, manutenção de equilíbrios climáticos ecológicos entre vários outros serviços ambientais. Atividades recreativas, turísticas, de educação e pesquisa são …

Resumo da XIII Reunião Ordinária do CERBCAA/PE - Dia 29/10/2008

Imagem
XIII Reunião Ordinária - Local: Fundaj 29/10/08

Apresentamos um resumo com as atividades da última reunião do CERBCAA-PE para assim socializarmos as informações e os encaminhamentos necessários para as ações que deveremos realizar até a nossa próxima reunião:
· Da palestra Saneamento Ecológico: Uma Alternativa Sustentável, proferida pelo professor Ronaldo Faustino, o CERBCAA-PE ficou de indicá-lo a SECTMA – PE para que se estude a viabilidade de adotar as técnicas apresentadas na palestra nas escolas técnicas do Estado.
· Em pequenos informes, o professor Fernando Mota da UFPE, fez um resumo dos trabalhos que ele e sua equipe realizam sobre desertificação e tivemos também a intervenção do representante da ONG Caatinga que é ponto focal da ASA para desertificação, ficando acertado que o CERBCAA-PE organizará uma reunião com as pessoas do Estado que trabalham este tema visando a compatibilização dos esforços desenvolvidos por cada entidade.
· Na avaliação do I Seminário sobre Criação de RP…

As riquezas da caatinga

Imagem
Foto: Diário do Nordeste

De origem indígena, a palavra Caatinga significa ´mata branca´, numa alusão à cor da maior parte da vegetação no período de estiagem. É o bioma brasileiro (conjunto de ecossistemas) mais ameaçado e menos protegido, conforme admitiu o próprio ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, na semana que passou, com a promessa de ampliar o número de unidades de conservação de proteção integral e, com isso, conter o processo de desertificação que avança. A constatação do Ministério não chega a ser novidade, mas enseja algumas mudanças de postura. Carlos Minc, admitiu, essa semana, no lançamento do Mapa das Unidades da Caatinga em Terras Indígenas, que o bioma é um dos mais ameaçados, menos estudados e menos protegidos do País. Na ocasião, foi assinado um plano de ação entre o Ministério, a Fundação Chico Mendes e a organização não-governamental (ONG) The Nature Conservancy (TNC), para promover a criação e a consolidação de unidades de conservação na Caatinga, a seleção d…