Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2009

Ministro anuncia plano nacional para manejo florestal. A caatinga é o bioma mais desmatado

Imagem
O ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, anunciou nesta sexta-feira (30), no Fórum Social Mundial, que a Política Nacional de Manejo Comunitário e Familiar deverá ser assinada pelo presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, nos próximos dias. O instrumento faz parte de uma série de ações do Ministério do Meio Ambiente para proteção florestal.
A política é uma das alternativas para garantir mais madeira legal para o comércio, combatendo a extração ilegal. O objetivo do plano é assegurar a conservação e uso sustentável do patrimônio ambiental e cultural brasileiro, valorizando o conhecimento tradicional das comunidades e das famílias que vivem de produtos e serviços florestais. Os manejos deverão estar sob controle e administração das comunidades tradicionais.
Durante o seminário Amazônia: Soberania e Desenvolvimento da Fundação Perseu Abramo, Minc explicou que o plano define recursos e financiamentos para que os povos possam ser treinados e terem recursos para viver com dignida…

Comitê reivindica criação de Unidades de Conservação na Caatinga.

Imagem

A festa do umbu na Bahia

Imagem
Agricultores da região de Uauá, no nordeste da Bahia, organizaram a 1ª festa do Umbu. O objetivo é mostrar a variedade de produtos que podem ser feitos com a fruta.
Eles chegam em família para fazer a colheita e passam horas escolhendo os melhores frutos do umbuzeiro. Agora, na época de safra, o umbuzeiro produz uma média de 15 mil frutos, com cerca de 300 quilos.
O umbuzeiro geralmente cresce na vegetação da caatinga, com ar seco e dias ensolarados. Requer clima quente e desenvolve melhor em solos não-úmidos. É que a árvore por si só já armazena muita água.
Talvez por isso a árvore seja considerada sagrada pela região. Mesmo na seca os frutos aparecem. Em 2003, os agricultores criaram uma cooperativa para organizar a comercialização do umbu. A iniciativa começou com 44 famílias. Hoje reúne mais de 300.
O agricultor José Edmilson Alves é um dos cooperados e acredita que a associação foi importante para a região. “Descobriu-se uma potencialidade enorme de produtos. As pessoas antes só conh…

Projeto sobre mudanças climáticas em Pernambuco é aprovado pela Finep

Imagem
A aquisição das torres de emissão de CO2 vai permitir que o bioma da Caatinga seja estudado (Foto: Dennis Barbosa)
Projeto sobre mudanças climáticas no Estado, desenvolvido pelo Laboratório de Meteorologia do Instituto de Tecnologia de Pernambuco - Itep/OS, é aprovado pela Financiadora de Estudos e Projetos - Finep - órgão ligado ao Ministério de Ciência e Tecnologia. O investimento é da ordem de R$ 1,5 milhão. “O projeto vai permitir a elaboração dos cenários de mudanças climáticas em Pernambuco e no Nordeste”, destaca a coordenadora do Laboratório de Meteorologia do Itep/OS, Francis Lacerda. Ela alerta que diagnosticar os cenários é essencial para que se possa estudar o nível de impacto causado pelas alterações climáticas. “Por exemplo, quais os municípios mais afetados com o aumento de temperatura ou os impactos na agricultura ou na saúde”, diz.
Com a aprovação do Projeto, Pernambuco torna-se o único estado do Nordeste a elaborar cenários de mudanças climáticas na Região. “Os resulta…

Caatinga livre de agressões

Imagem
A reserva ocupa uma área de 11.525 hectares (Foto: Honório Barbosa)


A Estação Ecológica de Aiuaba é uma das poucas áreas de caatinga preservadas na região.

A caatinga nordestina foi um dos ecossistemas mais afetados ao longo do século passado para ampliação das áreas de pastagens e de plantio. O sertão cearense é um exemplo dessa destruição. Onde havia matas, hoje há campos limpos.Uma das poucas áreas de caatinga preservadas na região Nordeste, um ecossistema único, está neste município. Implantada em 1980, pelo então Ministério do Interior, e criada em 2001, a Estação Ecológica de Aiuaba, na região dos Inhamuns, ocupa uma área de 11.525 hectares. Reúne várias espécies da fauna e da flora do sertão cearense. Há exemplares de aroeira, imburana, angico, umbuzeiro, pau-d’arco, peroba, catingueira, juazeiro e várias espécies de cactos. Em meio à mata, aves silvestres sobrevivem e embelezam o lugar com cantos e cores variadas.O isolamento, o subdesenvolvimento do município e a dificuldade d…

Livro sobre gesso é publicado em Pernambuco

Imagem
Pernambuco possui 30% das reservas de gipsita do país

O pesquisador do Núcleo de Tecnologia do Gesso do Itep, Luciano Peres, em parceria com os professores Mohand Benachour (UFPE) e Valdemir A Santos (Universidade Católica de Pernambuco) escrevem livro sobre o gesso no Brasil e no mundo. A obra intitulada “Gesso: produção e utilização na construção civil” mostram as características do produto e os métodos para otimizar a produção, manuseio e gestão do gesso. O livro é uma publicação do Sebrae.De acordo com coordenadora do NTG do Itep, Katarzyna Michalewicz, o livro mostra os principais processos de Calcinação – método para formação do gesso-; fabricação de pré-moldados; características e formas de secagem.Além de revestimentos e ferramentas para aplicação; sistemas construtivos e aditivação do gesso. Ela acrescenta que a publicação também mostra a gestão de reciclagem do produto no país e no exterior. Segundo Luciano Peres o livro é um passeio no mundo do gesso.No livro, o leitor desco…

Bioma caatinga já perdeu 59% de sua área

Imagem
A caatinga entrou definitivamente na corrida para definir que bioma brasileiro vai conseguir igualar primeiro o índice de destruição já alcançado pela mata atlântica, que é de 93%. Tabulação de dados recente feita por uma equipe de pesquisadores nordestinos revela que 59% do bioma tão exaltado por Euclides da Cunha e outros escritores já está alterado. A reportagem é de Eduardo Geraque e publicada pelo jornal Folha de S. Paulo, 05-06-2008.
A floresta amazônica, por exemplo, cada vez mais o destino de todos os holofotes ambientais, apresenta 18% de sua cobertura vegetal original modificada, segundo números divulgados nesta semana.
A compilação de dados das imagens de satélite do “primo pobre” dos biomas brasileiros gerou dezenas de mapas. O resultado que surge é diferente das últimas estimativas, que apontavam uma alteração de 30%, aproximadamente.
A cifra de mudança da cobertura vegetal original, calculada por Washington Rocha, da UEFS (Universidade Estadual de Feira de Santana), também …

Com Minc, governo dá 39% mais licenças ambientais

Imagem
Ministro Carlos Minc - Foto MMA

A concessão de licenças ambientais pelo Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) aumentou 39% após Carlos Minc assumir a pasta do Meio Ambiente, em 27 de maio.
O licenciamento ambiental é uma obrigação para a instalação de qualquer empreendimento e atividade potencialmente poluidores ou que degradem o ambiente, como ferrovias, hidrelétricas e rodovias.
A demora na concessão de licenças era a principal queixa contra a ex-ministra Marina Silva, e Minc entrou no governo com a missão de destravar o Ibama, do qual trocou o comando. Em julho passado, ele anunciou medidas como o prazo máximo de 13 meses para todas as etapas de licenciamento.
Ambientalistas dizem que o ministro cedeu à pressão política do governo para facilitar a liberação de licenças a empreendimentos, principalmente os do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento). Minc disse ontem à Folha que sofre pressões de ministros para liberar obras, mas que não ce…

Biólogos salvam animais ameaçados por transposição do 'Velho Chico'

Imagem
Ambientalistas tentam recuperar espécies típicas da caatinga. Transposição do São Francisco está transformando o Nordeste.


Biólogos, veterinários, estudantes e professores da UNIVASF-Universidade Federal do Vale do São Francisco seguem na dianteira da obra de transposição do Rio São Francisco. A missão é identificar e afugentar os animais e preservá-los. Os que não conseguem fugir são recolhidos.
A caranguejeira e a lagartixa da caatinga bem que tentaram se esconder. Os ambientalistas têm pressa. O barulho das moto-serras e o movimento das foices vêm logo atrás. “O papel da universidade é diminuir o impacto da obra em relação à natureza”, afirmou o professor da Universidade Vale São Francisco Luiz César Machado. A obra que vem no rastro dos tratores é uma das maiores em andamento no país: a transposição do rio São Francisco está transformando a imensidão da terra seca. Máquinas pesadas abrem 800 quilômetros de dois canais gigantescos que irão levar a água do maior rio do Nordeste a quatr…