Postagens

Mostrando postagens de 2010

Patrimônio da natureza ameaçado na caatinga.

A estrada, que liga o Sudeste ao Nordeste, passa por cima de cavernas em São Desidério, na Bahia. Uma das cavernas guarda o maior lago subterrâneo do Brasil.

Onde está a água limpa e fresca do planeta.

Fresh Water: The Essence of Life from Conservation International on Vimeo.

O vídeo acima, da Conservation International, foi feito para mostrar a importância de preservar os mananciais de água. Quando o calor estiver insuportável e você pensar em dar um mergulho em um rio ou tomar um banho gostoso de cachoeira, pense no privilégio que é um pouco de água doce e limpa no planeta de hoje. (Fonte: Blog do Planeta)

O Blog da Caatinga vai dar uma descansada nos próximos dias, que ninguém é de ferro. Coisa rápida. Na segunda-feira, dia 27, a página retorna cheia de fôlego e, o que é mais importante, de notícias sobre o nosso Bioma Caatinga e o Meio Ambiente. Feliz Natal a todos os Caatingueiros.

Aventura Selvagem no Vale dos Dinossauros na Paraíba.

Imagem
O apresentador Richard Rasmussen do programa "AVENTURA SELVAGEM" do SBT, presenteia o país mostrando um achado há muito esquecido, e de importância incalculável para a historia natural o "VALE DOS DINOSSAUROS", em Souza (PB), em plena caatinga. Ações como estas dão esperança de que algum dia será dada a devida importância aos achados, e que os contemplados por morar na região tenham orgulho e maior zelo por eles.

Ecoprodução na Caatinga dá seus pulos, e se ajeita

Imagem
Com criatividade, as riquezas encontradas no bioma servem de bandeira para preservar o meio ambiente e são fonte de renda para as comunidades da região.
Há mais na Caatinga que só seca. Há ali um mix de sabedoria popular com noções de sustentabilidade, frutas viram saborosas geleias e a palha do licuri ou do babaçu, da espiga de milho ou da bananeira se transformam em peças de artesanato. Com criatividade, as riquezas encontradas no bioma que cobre, principalmente, o Nordeste brasileiro servem de bandeira para preservar o meio ambiente e fonte de renda às comunidades da região. Há seis anos, quando foi criada a Bodega de Produtos Sustentáveis do Bioma Caatinga, mais conhecida como Bodega da Caatinga, apenas oito grupos se articulavam na coleta e beneficiamento de produtos florestais não-madeireiros. A corrente cresceu e hoje são 40 organizações ecoprodutivas que possuem a força dos braços para mexer tachos de doce e a habilidade de mãos para fazer tapeçarias e biojoias de mais de três …

Personagens da Caatinga: Canudos e Antonio Conselheiro.

Este é um video didático elaborado pela "Fundação Joaquim Nabuco - Fundaj" e Pelo "Ministério da Cultura", com o apoio da "TV Cultura". É um dos episódios da Série "Brasil - 500 Anos" (disponível no site: www.dominiopublico.gov.br), falando sobre o Conflito armado entre sertanejos sem-terras e as forças da República (1893 a 1897). Os sertanejos esperavam a vinda do Reino do Rei Dom Sebastião: um reino onde todos seriam igual socialmente - de gloria e justiça para todos.

Conheça o curso de sobrevivência na caatinga.

Assista ao vídeo com os futuros oficiais que estão se formando na Escola de Administração do Exército da capital baiana e que participam de um curso de sobrevivência na caatinga.
(Fonte: Globo News - Via Brasil)

72º Batalhão de Infantaria Motorizado é uma unidade de elite do Exército brasileiro sediada em Petrolina, sendo a única Unidade do Exército Brasileiro a formar o combatente para o ambiente operacional de caatinga.
Possui um Centro de Instrução de Operações na Caatinga, abrangendo uma área com aproximadamente 28.000 km². Preocupado com a questão ambiental, o batalhão preserva, desde a sua criação, uma vegetação de 3.000 km² inserida na área urbana de Petrolina, tendo também um parque zoobotânico, com uma grande variedade de representantes de fauna e flora do bioma caatinga, sendo 22 viveiros e mais de 40 espécies de vegetais. Em uma integração social, o parque que é aberto à visitação pública é constantemente visitado por alunos que desenvolvem pesquisas escolares e também por …

Caatinga em doses quase homeopáticas

Imagem
Livro que estimula uso sustentável do bioma foi lançado  ontem  no Recife pelo Ministério do Meio Ambiente.
A proteção parece o caminho lógico para preservar a caatinga - ecossistema exclusivamente brasileiro. Mas não é o único. Usar a vegetação de maneira equilibrada também é uma solução. E começa a ser a nova bandeira do Ministério do Meio Ambiente (MMA) que lançou ontem, o livro Uso Sustentável e Conservação dos Recursos Florestais da Catinga. Reunindo estudos e pesquisas do bioma nos últimos 25 anos, a obra consolida a possibilidade da economia racional proteger o meio ambiente. A receita é simples: usar uma parte por vez para garantir sempre o todo. Ecossistema exclusivamente brasileiro foi alvo de estudos específicos nos últimos 25 anos para lançamento de obra Foto: Plano de Ação Nacional de Combate a DesertificaçãoNum exemplo simplificado, a recomendação significa que um proprietário de terra deverá dividir o terreno para manter a vegetação se recuperando em um trecho enquanto a o…

Livro informa sobre o manejo sustentável na caatinga e será lançado em Recife (PE) no próximo dia 23.11(terça-feira).

Imagem
Publicada pelo Serviço Florestal Brasileiro, a obra “Uso Sustentável e Conservação dos Recursos Florestais da Caatinga” reúne artigos sobre a importância e as possibilidades do manejo sustentável no bioma. Lançamento será no Recife Praia Hotel, localizado à Av. Boa Viagem, 09 – Pina, Recife (PE) às 15:30h.
A biodiversidade da caatinga possui um grande potencial econômico, que para ser benéfico para o homem e, também, para o meio ambiente precisa ser explorado de forma responsável. Oferecer informações a respeito do manejo sustentável no bioma é o grande objetivo do novo livro “Uso Sustentável e Conservação dos Recursos Florestais da Caatinga”. Publicada pelo SFB – Serviço Florestal Brasileiro, do MMA – Ministério do Meio Ambiente, a obra reúne diversos artigos técnico-científicos, que são baseados em profundas pesquisas, a respeito da importância e das possibilidades sociais e econômicas do manejo florestal sustentável na caatinga. Os textos foram produzidos por mais de 20 renomados es…

Livro fotográfico registra luta em defesa do Velho Chico

Imagem
Veja as fotos em: O rio São Francisco e as Águas do Sertão

Por Michelle Amaral

O fotógrafo João Zinclar lançou em Campinas (SP) o livro “O Rio São Francisco e as Águas no Sertão”. O trabalho é resultado de um ensaio fotográfico realizado entre 2005 e 2010. Durante os cinco anos, o fotógrafo percorreu as margens do São Francisco em oito estados e registrou a cultura do povo ribeirinho e sua luta em defesa do rio. Em entrevista ao Brasil de Fato, Zinclar contou que a ideia de realizar o ensaio fotográfico surgiu com a intensificação das discussões e mobilizações contrárias à decisão do governo federal de realizar a transposição das águas do rio. “Senti necessidade e vontade política de contribuir nesse debate através da fotografia, nesse cenário de conflitos em torno do uso e controle das águas do Velho Chico”, conta. O fotógrafo afirma que, apesar do início das obras, o conflito em torno do projeto da transposição continua. “É uma questão mal resolvida e que pode ter desdobramentos futuros…

Xique-xique é o fiel da balança em meio à terra rachada

Imagem
A vida é assim. A desgraça de uns muitas vezes se transforma na fortuna de outros. No sol de quase dezembro, e após seis meses de estiagem, vaqueiros, sertanejos, criadores de gado, fazendeiros e outros ilustres personagens dessa história secular disputam o gado com os urubus. Não só o gado: também bodes e cabras. A plantação já foi perdida. O tempo não foi generoso e a caatinga reassumiu sua faceta mais estereotipada: terra rachada, carcaças de animais espalhadas pelos caminhos. Por essa época do ano, entre o sertanejo e os urubus, surge uma outra figura histórica para a caatinga. É o xique-xique, o fiel dessa balança. Cena comum à época de estiagens no sertão nordestino, a queima de xique-xique é o recurso ao qual agricultores, como Paulo Assunção, em Santana do Matos, dispõem para escapar do magro rebanho. O xique-xique é antes de tudo um forte. Espinhoso, resistente e acostumado à aridez, o sodoro, como é mais comumente chamado por essas bandas, é uma das poucas plantas a conseguir…

Personagens da Caatinga: BOIADEIRO SOU REI.

Neste filme maravilhoso uma câmera acompanha a vida de alguns vaqueiros no interior do Piauí. Segundo o cineasta, Carlos Tourinho, o filme foi baseado em Os Sertões de Euclides da Cunha.O filme foi produzido em película 35mm em 1978 no estado do Piauí. Na época existia a " Lei do Curta" que anexava um documentário ou um curta com temática cultural nacional, a um filme estrangeiro. O propósito da lei, que era de reserva de mecado, era mostrar também ao Brasil, que temos boas cabeças pensantes na área do audiovisual. Tourinho disse que "antes de começar as filmagens, andei com eles durante uns três dias acompanhando e ajudando no dia a dia.
Gente simples, que a única ambição era de cuidar da fazenda que não era sua e criar os filhos dando uma oportunidade melhor. O vaqueiro que cai do cavalo na vaquejada, realmente morreu. Assim que puder, voltarei a fazenda para ver como vai a vidade deles e quem sabe, dar continuidade a história dos vaqueiros.. São mais de 30 anos de his…

Obras de ferrovia e transposição dão novo fôlego a Salgueiro no sertão de Pernambuco.

Imagem
Canal de aproximação do eixo Leste com o Rio São Francisco (Foto: A Tarde)
Dez Anos depos, município de Salgueiro deixa de ser capital do Polígono da Maconha  para ter nova cara e economia fortalecida.

Há dez anos, o município de Salgueiro, encravado no Sertão pernambucano, a 514 quilômetros do Recife, era conhecido apenas por ser a capital do Polígono da Maconha. No início do ano 2000, os governos federal e estadual se uniram em uma megaoperação batizada de Mandacaru para erradicar o tráfico na região. O objetivo não foi alcançado, mas a mobilização policial e militar da época desarticulou momentaneamente os barões da droga e fez a economia de Salgueiro estagnar. Sem o dinheiro gerado pela maconha, concessionárias fecharam, a agricultura perdeu força e a rede hoteleira diminuiu o número de leitos. A partir de 2007 e mais fortemente nos últimos dois anos, obras bilionárias como a transposição do Rio São Francisco e a Ferrovia Transnordestina mudaram a cara do município, que hoje se trans…

Personagens da Caatinga: Bode Rei, Cabra Rainha.

No semi-árido brasileiro, no ambiente da Caatinga, é costume dizer-se que não é o homem quem cria o bode, mas o bode que cria o homem. Diz-se também, que porco, galinha e bode são a poupança do pobre e que do bode se aproveita até o berro. O sertão nordestino é o império do bode e da cabra. Ali, eles são os principais provedores de proteína animal para a maioria da população. Apesar de totalizarem cerca de 11 milhões de animais, sendo fundamentais para a sobrevivência das famílias que ainda resistem nas áreas rurais, os caprinos permanecem na clandestinidade da economia do país. Desde a antiguidade sabe-se que bodes e cabras são excelentes para produzir para o homem: leite, pele e carne, nessa ordem. Depois de quase 500 anos vivendo em sua poderosa invisibilidade, os milhões de cabras e bodes espalhados pelo Brasil começam a aparecer. BODE REI, CABRA RAINHA é um documentário onde os personagens principais são os bodes e as cabras; os coadjuvantes, seus humanos companheiros; e o cenário…

Serviço Florestal lança livro sobre recursos florestais da Caatinga.

Imagem
O Serviço Florestal Brasileiro (SBF), órgão ligado ao Ministério do Meio Ambiente (MMA), está lançando o livro Uso Sustentável e Conservação dos Recursos Florestais da Caatinga. A obra reúne artigos técnico-científicos resultados de 25 anos de pesquisa. Os estudos foram rigorosamente atualizados e consolidados por mais de 20 autores (pesquisadores e técnicos), de universidades regionais, órgãos estaduais de meio ambiente, organizações não-governamentais, além da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). De acordo com o chefe da Unidade Regional Nordeste do SFB, Newton Barcellos, o livro considera a relevância do manejo sustentável das florestas da Caatinga para o desenvolvimento econômico e social do Semiárido, bem como, sua influência sobre os meios de vida da população. "Esse bioma tem um grande potencial de exploração, que urge por acontecer de modo sustentável, devido à inegável …

Personagens da Caatinga: O SERTANEJO E SUA ARTE.

Minha Vida: Sertão (2008) traz um breve recorte da vida de um agricultor em seu dia-a-dia na mais tenra caatinga, que toca a sua vida depois de perder a esposa, lhe restando apenas um neto, um filho e um vizinho a mais de seis quilômetros de distância. Recheado com músicas que fazem parte do universo catingueiro, o documentário do diretor Wllyssys Wolfgang oferece um momento de catarse através da arte sertaneja puramente vivenciada. Documentário / cor / 2008 / 9min50seg. (Fonte: YouTube).

Cerrado e Caatinga são os biomas mais vulneráveis

Imagem
Os biomas Cerrado e Caatinga não são resistentes (Foto: Divulgação)

Embora a Mata Atlântica tenha sido mais impactada ao longo do processo histórico brasileiro, os biomas Cerrado e Caatinga são os que apresentam as maiores vulnerabilidades no que diz respeito à conservação, segundo o diretor de Florestas da Secretaria da Biodiversidade do Ministério do Meio Ambiente (MMA), João de Deus Medeiros.
“Em biomas como o Cerrado e a Caatinga, nós temos uma situação duplamente complicada, que é uma representatividade ainda baixa e a distribuição no bioma e nas categorias de proteção e uso sustentável ainda muito desequilibrada”, ressaltou o representante da pasta ambiental do governo. Medeiros também mencionou a influência da ação humana sobre os biomas, como o agronegócio, considerado por ele “um fator de conflito”.

A 10ª Conferência das Partes (COP10) da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Diversidade Biológica (CDB) será realizada a partir da próxima segunda-feira, 18 de outubro, até …

Personagens da Caatinga: JACKSON DO PANDEIRO.

Jackson do Pandeiro, o mais importante ritmista brasileiro, em todos os tempos, tem despertado mais comentários e idolatria que audição e estudos, desde seu último disco, “Isso É Que É Forró”, lançado em 1981. Falecido em 10 de julho de 1982, José Gomes Filho, o rei do ritmo, o gênio de Alagoa Grande, na Paraíba, um dos pilares da música popular brasileira da década de 1950 para cá, ainda tem sua rica e vasta obra restrita às lembranças nostálgicas de quem vivenciou seu período áureo ou esquecida em empoeiradas prateleiras de solitários e escassos colecionadores. Mais ou menos, aliás. Há coisa de uns 10 anos, a curiosidade em torno do músico e sua vasta e consistente obra vem ganhando contornos de perpetuação. Silvério Pessoa, Lenine, Bastianas, Cabruera, Maíra Barros, Cascabulho, Jarbas Mariz, Chico César, Beto Brito, entre outros bambas da nova geração de talentos sonoros, têm conseguido manter acesa a chama da vela da sabedoria jacksoniana. Tão moderno quanto tantos que aí estão e a…

Con(v)ivência com a seca

(Este videoclipe tem como fundo a música É a seca de março torrando o sertão de Jessier Quirino e o texto baseia-se no artigo Uma Visão da Seca a Luz da Psicanálise (LEITE, SEVERIANO, COSTA, 2009) que apresenta a visão do Nordeste como uma Região árida e carente, um dos possíveis olhares que nós como nordestinos não podemos e não devemos negar, já que faz parte da nossa realidade, da nossa identidade).




Artigo
Clovis Guimarães Filho (*)

A caatinga já perdeu mais de 45% dos seus 82 milhões de hectares originais e a festa continua, ao ritmo estimado de 267 mil hectares desmatados/ano. Não foi considerada nesse cálculo a degradação oriunda do superpastejo e de outras atividades extrativistas conduzidas de forma espoliativa.  Para o MMA o problema do desmatamento deve-se a falta de alternativas energéticas para a região, o que dificulta e torna quase impossível a solução do problema. Um exemplo disso é a destruição criminosa que ocorre no polo gesseiro do Araripe, agravada por uma negligenci…

Pernambuco ganha centro de referência em conservação da Caatinga

Imagem
(Foto: José Leomar)
Considerado um dos biomas mais devastados pela ação do homem no Brasil, a Caatinga passa a contar com um grande aliado em sua conservação. A Unidade Acadêmica de Serra Talhada (UAST) da UFRPE será a sede de um novo Centro de Referência em Recuperação de Áreas Degradadas (CR-ad), voltado para a realização de pesquisas e atividades de extensão sobre a Caatinga. Os recursos para a construção do CR-ad Bioma Caatinga (R$ 1 milhão) foram liberados pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), em meados de agosto, após aprovação de projeto elaborado por equipe de 11 pesquisadores, dos quais dez são da própria UAST. O CR-ad Bioma Caatinga contará com um herbário, dois laboratórios, banco de germoplasma; viveiro com capacidade de produção de até 60 mil mudas (a ser construído na Estação de Pesquisa de Parnamirim da UFRPE); viveiro-escola; veículo com tração a ser usado em pesquisas; caminhão para o transporte de mudas e uma van para a …

Histórias de Vida e Cidadania no Semiárido

Vídeo e revista sobre políticas públicas no Semiárido serão lançados nesta segunda, a partir das 18h, no Cinema da Fundação (Derby). O especial Histórias de Vida e Cidadania no Semiárido, realizado pela ONG Diaconia, trata de ações voltadas ao acesso à água potável, à segurança alimentar, ao saneamento e à conservação do meio ambiente. As produções foram realizadas em parceria com a Tearfund e União Européia e contam com o apoio da Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj), na realização do lançamento. Em foco, nove municípios que integram projeto focado na segurança alimentar, renda e inclusão social desenvolvido pela Diaconia. A ação beneficia 560 famílias, com o desenvolvimento de tecnologias adaptadas ao Semiárido com o objetivo de erradicar a pobreza. Foram construídas 300 cisternas para o armazenamento de água, consumo familiar e produção de alimentos, implantadas três unidades de beneficiamento de frutas, 30 viveiros e mais de 150 mil mudas para a plantação de árvores forrageiras, frutíf…

Personagens da Caatinga: CARRANQUEIROS DO SÃO FRANCISCO.

As carrancas são manifestações genuínas da arte popular brasileira que desenvolveu-se na região do rio São Francisco, por artistas populares denominados carranqueiros.
Pensando em criar uma identidade própria para as embarcações que navegavam pelo rio São Francisco, artistas esculpiam enfeites de proa. Esses elementos de decoração sempre representavam uma escultura de cabeça e pescoço de alguma figura, que misturava traços humanos com traços animais e apresentava uma expressão de figura mitológica indeterminada e de grande impacto, dando origem à arte das carrancas. Hoje, essa arte popularizou-se. Podemos encontrar as carrancas não apenas nas proas das embarcações do São Francisco, como simples enfeite, mas tornou-se um disputado elemento de decoração e parte do acervo de museus nacionais e estrangeiros, sendo suas peças de grande valor de comercialização para turistas. O artista que mais se destacou nessa arte foi Francisco Biquiba Dy Lafuente, o Francisco Guarany, pois foi o único …

A realidade pouco conhecida da Caatinga

Imagem
(Foto: CNRBCAA)
Sertão, terra rachada, sol a pino, povo sobrevivente. A imagem mais relacionada à Caatinga esconde uma realidade pouco conhecida. O único bioma exclusivamente brasileiro é também a região semiárida mais rica em biodiversidade do planeta. Os dados mais atuais indicam 932 espécies de plantas, 148 de mamíferos e 510 de aves, algumas exclusivas do bioma. Ocupando 11% do território brasileiro, a Caatinga também apresenta grande potencial de uso sustentável de seus recursos naturais como madeiras, forrageiras, medicinais, fibras, resinas, borrachas, ceras, tonantes, oleaginosas, alimentícias, aromáticas, além de sítios arqueológicos e paisagens consideradas ideais para o ecoturismo. Contudo, o semiárido brasileiro ainda é lembrado principalmente pela pobreza, com seus 1.482 municípios entre os mais pobres do país; pelo clima seco, com 95% da área do bioma em regiões suscetíveis à desertificação; pela ocupação humana desordenada, que começou nos tempos do Brasil colônia e que, …

A Pedra do Cachorro é vistoriada para se transformar em Posto Avançado na Caatinga

Imagem
Professora Pompéa Coelho realiza vistoria na Pedra do Cachorro
O Comitê Estadual da Reserva da Biosfera da Caatinga - CERBCAA-PE, encaminhou no dia 26 de fevereiro de 2009, proposta de criação do primeiro Posto Avançado da reserva da Biosfera da Caatinga em Pernambuco à direção do Conselho Nacional da RBCAA. A entidade indicada foi a Reserva Particular do Patrimônio Natural Pedra do Cachorro (foto acima), no município de São Caetano, de propriedade do Senhor Raimundo Guaracy Cardoso. A RPPN Pedra do Cachorro recebeu este titulo em 2001 e desenvolve ações de preservação da natureza, educação ambiental e eco-turismo. A expectativa do Comitê é de que o CNRBCAA conceda o titulo de Posto Avançado, após a visita técnica da Professora Maria de Pompéia Coêlho a Pedra do Cachorro no último dia 07 de outubro (quinta-feira). Postos Avançados (PA) são centros, locais físicos ou instituições, contidos total ou parcialmente dentro do perímetro da RBCA, onde acontecem regularmente pelo menos duas das…

Personagens da Caatinga: PADRE CÍCERO.

Padre Cícero (Eclesiástico e líder político brasileiro) - 24-3-1844, Crato (CE) - 20-7-1934, Juazeiro do Norte (CE). Cícero Romão Batista foi o mais polêmico dos padres do clero brasileiro. Banido oficialmente pela Igreja Romana, depois de adquirir fama de milagreiro, foi aceito e canonizado pela Igreja Popular e virou santo nos sertões nordestinos, tendo uma imensa legião de fiéis espalhados pelo Brasil. Ordenou-se sacerdote em 1870. Dois anos depois, radicava-se no pequeno povoado de Juazeiro do Norte, no Ceará, onde fundou uma igreja e passou a desenvolver intenso trabalho pastoral com pregação, conselhos e visitas domiciliares. Em 1889, durante uma comunhão, uma hóstia consagrada por ele sangrou na boca da beata Maria de Araújo. O fato, relacionado ao derramamento do sangue de Jesus Cristo, foi considerado pelo povo um milagre. As toalhas com as quais limpou a boca da beata ficaram manchadas de sangue e passaram a ser veneradas. Em pouco tempo, Juazeiro passou a ser alvo de peregr…

A Caatinga pede socorro.

Imagem
Hoje reconhecidamente um dos biomas mais ricos do Brasil, a caatinga do semiárido nordestino é também o menos protegido: só 2% de sua área se encontram em unidades de preservação.
Das 5.344 espécies de plantas registradas na região, cerca de 320 são endêmicas - ou seja, restritas somente àquele bioma. O lembrete foi feito na 62ª reunião anual da SBPC (Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência), realizada em julho último em Natal, no Rio Grande do Norte. Os biólogos Maria Regina Vasconcellos, da Universidade Federal da Paraíba; Ana Maria Harley, da Universidade Federal do Espírito Santo; e Miguel Rodrigues, da Universidade de São Paulo, apresentaram dados de pesquisas para explicar a biodiversidade - especialmente botânica - das caatingas brasileiras e mostrar por que elas devem ser preservadas. Pelo fato de a caatinga ter condições climáticas muito particulares - como chuvas irregulares -, as espécies botânicas adaptadas ao semiárido também são muito características. Suas árvores …

Biólogo alemão faz atlas virtual sobre peixes no Estado de Pernambuco.

Imagem
O trabalho desenvolvido pelo biólogo Heiko Brunken tem quase 500 espécies, com foto, nome científico, nomes populares e distribuição No começo, eram cerca de 200 espécies. Agora, três anos depois de iniciar o levantamento dos trabalhos científicos sobre os peixes de Pernambuco, o biólogo alemão Heiko Brunken conta quase 500, entre os de água doce e salgada. O atlas virtual inclui foto, nome científico, nomes populares e a distribuição geográfica dos animais. Brunken, da Universidade de Ciências Aplicadas de Bremen, conta que visitou o Estado pela primeira vez em 2002, pelo Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico (DAAD). “Fiquei maravilhado com a natureza e com as pessoas. Como minha área é ictiologia e tinha feito um atlas semelhante para a Áustria e Alemanha, decide repetir o projeto aqui”, conta. Heiko conta com a colaboração de pesquisadores das Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) e a Universidade de Pernambuco (UPE). Para ele, há mais informações disponíveis de espécies…

Pesquisadores mobilizados para preservar os sítios arqueológicos de Carnaúba dos Dantas (RN).

Imagem
A arte de preservar tesouro de 5 mil anos Pesquisadores de Pernambuco, Rio Grande do Norte, Paraíba e Piauí se unem  para preservar pinturas e gravuras rupestres no Sertão do Seridó (Foto Dean Carvalho)
Por Cleide Alves
cleide@jc.com.br

CARNAÚBA DOS DANTAS – Um tesouro com cerca de cinco mil anos de existência, localizado no Sertão do Seridó, mobiliza pesquisadores dos Estados de Pernambuco, Rio Grande do Norte, Paraíba e Piauí. O trabalho coletivo terá como resultado a preservação dos sítios arqueológicos de Carnaúba dos Dantas (RN), onde há registros de pinturas e gravuras rupestres. Ações de educação patrimonial começam a ser desenvolvidas a partir deste mês, mas já estão em andamento a limpeza dos desenhos e a colocação de passarelas para organizar as visitas nas áreas das pinturas. Os 71 sítios identificados em Carnaúba dos Dantas representam a tradição nordeste, caracterizada por figuras que dão ideia de movimento – cenas de caça e dança, por exemplo. As pinturas, na cor vermelha, …

Personagens da Caatinga - LAMPIÃO, O REI DO CANGAÇO.

Virgulino Ferreira da Silva, vulgo Lampião (Serra Talhada, 7 de julho de 1898 — Poço Redondo, 28 de julho de 1938), foi um cangaceiro brasileiro. O seu nascimento, porém, só foi registrado no dia 7 de agosto de 1900. Uma das versões a respeito de sua alcunha é que ele modificou um fuzil, possibilitando-o a atirar mais rápido, sendo que sua luz lhe dava a aparência de um lampião. No dia 27 de julho de 1938, o bando acampou na fazenda Angicos, situada no sertão de Sergipe, esconderijo tido por Lampião como o de maior segurança. Era noite, chovia muito e todos dormiam em suas barracas. A volante chegou tão de mansinho que nem os cães pressentiram. Por volta das 5:15 do dia 28, os cangaceiros levantaram para rezar o oficio e se preparavam para tomar café, foi quando um cangaceiro deu o alarme, já era tarde demais. Não se sabe ao certo quem os traiu. Entretanto, naquele lugar mais seguro, segundo a opinião de Virgulino, o bando foi pego totalmente desprevenido. Quando os policiais do Tenente …

Conheça o Projeto "Valorização do Bioma Caatinga" promovido pelo Comitê Estadual da Caatinga na região do Vale do Pajeú.

(Imagens: O mundo da Caatinga natureconservancy - youtube)

O Bioma Caatinga pode ser considerado um dos mais ameaçados do Brasil. Grande parte de sua superfície já foi bastante modificada pela utilização e ocupação humana. E em nosso Estado, Pernambuco, é carente de medidas mais efetivas de conservação da diversidade, como a criação de unidades de conservação de proteção integral. Hoje em dia já é muito difícil encontrar remanescentes da vegetação nativa maiores que 10 mil hectares. O Bioma Caatinga apresenta extensas áreas degradadas e solos sob intenso processo de desertificação. A CAATINGA foi por muito tempo caracterizada como “pobre”, porém as pesquisas recentes têm revelado um grande potencial, uma ampla diversidade biológica, com espécies endêmicas e adaptações distintas. Apesar de ser um bioma com grande potencialidade ainda é pouco valorizado e reconhecido. O Objetivo do Projeto “VALORIZAÇÃO DO BIOMA CAATINGA” é promover ações que visem à valorização da Caatinga através de aç…