Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2011

Marcas na pedra do Parque Nacional da Serra da Capivara (PI).

Imagem
O Parque Nacional da Serra da Capivara, localizado no Estado do Piauí, em meio à caatinga, é considerado um dos locais com maior quantidade de pinturas rupestres do mundo. Diversas civilizações, de até 12 mil anos, coloriram com óxido de ferro e outras substâncias seus gigantescos paredões de pedra. O parque recebeu pela UNESCO o título de Patrimônio Cultural da Humanidade. Apesar de sua importância, segue desconhecido da maior parte dos brasileiros. (Por Nilton Fukuda e Tiago Queiroz enviado a São Raimundo Nonato).
Na próxima oportunidade, quando pensar em fazer algum roteiro pelo Nordeste, esqueça por um momento os óbvios destinos com praias e coqueiros. A região tem belas faixas de areia, inegavelmente, mas não apenas isso. Tente se lembrar de um lugar dominado pela caatinga, bioma ímpar, e coberto de pinturas deixadas por nossos ancestrais, 12 mil anos atrás. Agarre a chance de entrar em contato com um Brasil profundo, de um povo simples, de olhar sincero. Siga para o Parque Nacion…

Instituto Chico Mendes descarta haver Mata Atlântica no Piauí.

Imagem
Mapa mostra áreas em bege no Piauí, consideradas de Mata Atlântica pelo IBGE; Governo do Estado contesta definição em Brasília


Na semana em que a Fundação SOS Mata Atlântica, em  Teresina, saiu para defender a preservação do bioma no Estado, biólogos reafirmam a inexistência dessa vegetação, em especial na Serra Vermelha. Entre as defensoras está Eugênia Medeiros, coordenadora no Piauí do Instituto Chico Mendes de Conservação e Biodiversidade - ICMBio. O órgão é ligado ao Ministério do Meio Ambiente, a quem o governo estadual contesta o mapa do IBGE que definiu 10% do território piauiense como Mata Atlântica. Para Eugênia Medeiros, são necessárias similaridades geoclimáticas, que incluem até fatores relacionados a distribuição de chuvas, solo e altitude, para tal definição. Ela afirma que chamar de Mata Atântica as regiões próximas à Serra da Capivara é desvalorizar a caatinga ali existente e negar estudos iniciados no final dos anos 1970. "A falácia de que a região é Mata Atlânti…

CAATINGA : Uso medicinal é ameaça a vegetais.

Imagem
Extração de casca de umburana, aroeira e quixabeira é efetuada, muitas vezes, com o corte da árvore, aumentando risco de desaparecimento de espécies. (Foto: fatosefotos da caatinga.blogspot.com)
O uso medicinal de três árvores da caatinga, duas delas na lista brasileira de plantas em risco de extinção, se constitui numa das principais ameaças às espécies. É o que mostra pesquisa realizada pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB). “A extração da cascas da umburana, da aroeira e da quixabeira é efetuada, na maioria das vezes, com o corte total da árvore, sendo esse um dos fatores que podem contribuir para desaparecimento desses vegetais na área”, alertam os cientistas. O estudo, publicado em dezembro pelo Ministério do Meio Ambiente, mostra que a madeira dessas plantas é também explorada para a produção de carvão, o que aumenta a pressão sobre as espécies. A umburana e a aroeira estão na lista nacional de plantas ameaçadas, publicada em 2008. A quixabeira não figura na relação, mas tam…

Planta nova na Caatinga em Pernambuco.

Imagem
Após quatro anos analisando flores, frutos e folhas coletados de um arbusto em Mirandiba, no Sertão de Pernambuco, pesquisadores concluíram, mês passado, que pertencem a uma nova espécie da caatinga. A planta foi batizada de Gymnanthes boticario. O primeiro nome é uma referência ao gênero. O segundo, à espécie. Trata-se de uma homenagem à Fundação O Boticário de Proteção à Natureza, que financiou o estudo. Os autores da descoberta, publicada na revista alemã Willdenowia, explicam que há 46 espécies desse gênero no mundo, quatro delas encontradas no Brasil. Assinam o artigo no anuário do Jardim Botânico e do Museu Botânico de Berlin-Dahlen o especialista alemão Hans-Joachim Esser, do Botanische Staatssammlung de Munique, e dois brasileiros. Marccus Alves, professor do Departamento de Botânica da UFPE e Maria de Fátima de Araújo Lucena, vinculada à Universidade Federal de Campina Brande (PB). Logo depois da coleta em Mirandiba, a 500 quilômetros do Recife, no Sertão de Pernambuco, a equip…

Filme retrata rota do charque.

Imagem
Documentário "Charqueadas: ensaio à história das rotas e fábricas de carnes do Ceará" é filmado em Icó


O boi como colonizador do sertão. Animal criado solto na Caatinga permitiu a incursão de populações sertão adentro, que se instalariam próximas aos rios, principal referência num ambiente desconhecido e sujeito a estiagens. No século XVIII, uma técnica de salga e secagem da carne e do couro do boi permitiu que a capitania do Ceará desenvolvesse sua primeira atividade econômica de relevo: as oficinas de charque. A trajetória econômica e social das charqueadas, que forjou no Ceará o que Capistrano de Abreu chamaria de "civilização do couro", é o tema do documentário "Charqueadas: ensaio à história das rotas e fábricas de carnes do Ceará", do jornalista Roberto Bomfim. A equipe de 22 pessoas segue para Icó, a fim de refazer uma das principais rotas do charque, seguindo a rota dos Rios Salgado e Jaguaribe.
Roteiro
Após pesquisar obras históricas que tratassem do…

Fora de Casa.

Imagem
Tuiuiú na Caatinga.Foto:http://tytan-tuiuiu.blogspot.com/2008/07/puxa-vida-polcia-federal-encanou-nahas.html
Um tuiuiú, animal típico do Pantanal, apareceu em Parnamirim, no sertão de Pernambuco. A ave foi encontrada por dois agricultores e chamou a atenção dos moradores da região. Dezenas de moradores do município de Parnamirim, no sertão de Pernambuco, estavam reunidas em frente à companhia de Polícia Militar. Não se tratava de nenhuma prisão ou algo parecido. O motivo foi a presença de um tuiuiú. Uma ave típica do Pantanal mato-grossense apareceu em plena caatinga. O tuiuiú foi visto por agricultores na beira de uma estrada da zona rural. “A gente encontrou ele muito cansado. Meu pai disse pra gente pegar e entregar para o Ibama”, contou o agricultor Damião Brito Após ser informada sobre a existência do tuiuiú, a Polícia Militar recolheu e passou a cuidar do animal. A primeira providencia foi levar para a companhia e informar ao órgão competente, que é o Ibama. “Aí, fomos orientados …

Cinco fatos sobre a água que você pode não saber..

Imagem
A água está em toda parte, certo? Na verdade, para um recurso tão abundante, água limpa é surpreendentemente escassa. Menos de 1% de toda água doce é acessível para uso humano direto, o que representa apenas 0,007% de toda a água na Terra. Aposto que você não sabia disso. Confira mais cinco fatos sobre água limpa e descubra o que mais você não sabia:
1. Água não potável e falta de saneamento mata mais pessoas anualmente do que todas as formas de violência, incluindo a guerra . Beber água não potável pode incubar algumas doenças muito assustadoras, como E. coli, Salmonella cólera e hepatite A. Dada essa quantidade de bactérias, não é nenhuma surpresa que a água, ou melhor a falta dela, faz com que 42 mil mortes a cada semana. 2. Mais pessoas têm acesso a um telefone celular do que a um banheiro. Hoje, 2,5 bilhão de pessoas carecem de acesso a banheiros. Isso significa que o esgoto transborda para rios e córregos, contaminando a água potável e podendo causar a doença. 3. Todos os dias, mul…

Comunidades se beneficiam de produtos produzidos com plantas da caatinga.

A Bodega de Produtos Sustentáveis do Bioma Caatinga é uma rede de associações que coletam, produzem e beneficiam produtos do sertão. Tudo é vendido dentro do conceito do comércio justo e solidário.

Parque é ampliado na Serra das Confusões (PI). Área passa a ter 823,4 mil hectares.

Imagem
Foto: Nelson Yoneda/ ICMBio

Onça-pintada (Panthera onça) habita a Serra das Confusões
O Parque Nacional da Serra das Confusões (PNSC), localizado no Piauí (leia-se nos municípios de Guaribas, Santa Luz, Cristino Castro, Alvorada do Gurguéia, Canto do Buriti, Tamboril do Piauí, Brejo do Piauí, Jurema, Caracol, Redenção de Gurguéia, Curimatá e Bom Jesus), teve sua área ampliada de 523 mil hectares para 823,4 mil. A razão de sua ampliação se deve ao fato de o parque estar em área dos biomas Caatinga, Cerrado e encraves florestais de Floresta Estacional Decidual (conhecida como “florestas secas”, que representam o ambiente florestal de terras baixas mais ameaçadas do Brasil). Ou seja, sua manutenção é importante porque é responsável pela recarga de aquíferos e mananciais formadores de rios, riachos e olhos d'água; pela preservação de sítios arqueológicos, além de fomentar o ecoturismo na região. O Parque Nacional da Serra das Confusões foi criado por decreto em 2 de outubro de …

Ministério do Meio Ambiente vai realizar censo florestal no País

Imagem
A Caatinga será um dos biomas estudados em Pernambuco.
O Inventário terá como objetivo a análise dos tipos de árvores, idade e saúde, além da capacidade de armazenamento de biomassa e carbono. Convênio com governo do Estado deve ser firmado este mês O Ministério do Meio Ambiente (MMA) vai realizar este ano um censo florestal em todos os Estados do País. O inventário terá como objetivo a análise dos tipos de árvores, idade e saúde, além da capacidade de armazenamento de biomassa e carbono. Um projeto-piloto começou a ser desenvolvido em dezembro no Distrito Federal. No Nordeste, já foram firmados convênios com o Ceará e Sergipe. De acordo com Antônio Carlos Hummel, diretor-geral do Serviço Florestal Brasileiro, órgão do MMA responsável pelo projeto, o convênio com o governo do Estado deverá ser firmado este mês. A Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) também deverá participar da equipe técnica. No Estado, serão analisadas a mata atlântica e a caatinga. “O trabalho será importante para…

Aventura Selvagem e a Coruja Buraqueira da Caatinga

Em expedição pela Paraíba, Richard Rasmussen descobre algumas praças especiais no Aventura Selvagem desta sexta, 6 de agosto. No alto das figueiras, vivem várias preguiças, mamíferos que passam a maior parte do tempo dormindo sobre os galhos. Aliás, eles fazem tudo em cima das árvores, inclusive se reproduzem. Nem precisa dizer o quanto nosso aventureiro fica fascinado com esses moradores das alturas. Ao saber que o grupo de uma árvore não se relaciona com o de outra, gerando indivíduos com problemas genéticos, o Richard bola um plano para mudar essa situação. Junto com pesquisadores da Universidade Federal da Paraíba e com biólogos da Área de Proteção Ambiental, ele resolve levar uma preguiça para conhecer o grupo de outra árvore, a fim de promover o cruzamento entre eles. Uma tarefa nada fácil, mas que deixa Richard muito feliz. Além das preguiças, um sapo gorducho cruza o caminho do selvagem e serve de modelo para várias demonstrações das características da espécie. Mas o melhor de tu…

Informações sobre florestas são reunidas em livro de bolso.

Imagem
Clique aqui para baixar a versão em PDF
As principais informações do setor florestal do país estão reunidas no livro de bolso Florestas do Brasil em Resumo 2010, que o Serviço Florestal Brasileiro lançou no último mês de dezembro. A publicação, de 152 páginas, aborda, entre outros assuntos, características dos seis biomas, avanços na gestão das florestas, aspectos socioeconômicos da área florestal e ensino e pesquisa relacionados ao tema. Neste minilivro, que atualiza informações presentes na primeira edição da obra, foram incluídas informações sobre crédito florestal, manejo florestal na Amazônia e na Caatinga, unidades de conservação estaduais e comparativo mundial do estoque de biomassa florestal viva. "Esta é uma obra em movimento. As informações sobre floresta são dinâmicas e, portanto, as atualizações serão constantes", afirma a diretora de Pesquisa e Informação Florestal do Serviço Florestal, Cláudia Azevedo Ramos. As seções foram organizadas de forma curta e objetiva para…

Volume de chuva fica acima da média em várias partes do país

Em várias partes do país o volume de chuva ficou acima da média em dezembro. O problema é que em algumas regiões essa chuva foi mal distribuída. Choveu muito no início do mês e depois parou. É o caso do sertão de Pernambuco, que vive um momento chamado de seca verde.
No campo, o agricultor José Carlos da Silva confere o resultado do que plantou há pouco mais de uma semana. Na terra seca já é possível ver alguns brotos de feijão. Mesmo com as sementes germinadas, o agricultor não tem garantia de que a lavoura vai vingar. “Essas sementes a gente guardou do ano anterior. Plantamos, ela começou a germinar, mas pelo visto, se não chover, vai perder tudo. É uma seca verde”, disse José Carlos. Esta é a situação enfrentada por mais de 70 famílias do distrito de Atalho, a 100 km de Petrolina, no sertão pernambucano. Apesar da paisagem vistosa, o sertanejo ainda não tem previsão de safra. O pouco que choveu não foi suficiente para abastecer açudes e barreiros que dão sustentabilidade à produção. O…