Postagens

Mostrando postagens de 2016

Conselho Nacional da Reserva da Biosfera da Caatinga debate políticas de proteção da Caatinga em Seminário na Fundaj em Recife (PE).

Imagem
As atividades do Conselho Nacional da Reserva da Biosfera da Caatinga foram reativadas na sexta-feira (04) O Conselho Nacional da Reserva da Biosfera da Caatinga (CNRBCAA) reativou suas atividades em reunião extraordinária realizada na última sexta-feira (04) em Recife, em  Pernambuco. Durante reunião houve a formação da nova Coordenação Gestora do Conselho e deliberação de novas propostas de políticas para preservação do bioma. Criado em julho de 2005 o Conselho estava inativo desde dezembro de 2011 quando houve sua última reunião. Havendo a necessidade de debater a preservação da Caatinga, foram reativadas as atividades.
Segundo Afrânio Menezes, coordenador de Acordos e Convênios do Instituto do Meio Ambiente de Alagoas (IMA-AL), eleito novo vice-presidente do Conselho durante a reunião, os membros debateram a ampliação das Unidades de Conservação da Caatinga como modo de assegurar mais áreas protegidas. Além disso, foi levantada a proposta de criação de uma Proposta de Emenda Consti…

Posse dos novos membros do Comitê Estadual da Reserva da Biosfera da Caatinga - CERBCAA/PE

Imagem
O Comitê Estadual da Reserva da Biosfera da Caatinga - CERBCAA retornou suas atividades no último dia  26 de outubro de 2016. Durante a reunião extraordinária que ocorreu na Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade - SEMAS, foram entregues pelo Coordenador Geral, Marcelo Teixeira, os termos de posse aos representantes de 18 instituições de um total de 34 que compõe o Comitê. O trabalho do Grupo tem por objetivo o desenvolvimento sustentável da caatinga pernambucana e o papel de articular instituições em prol da conservação e do desenvolvimento de novos projetos e pesquisas na região. Ao final, o gerente da SEMAS, Paulo Teixeira, fez uma apresentação sobre "As Unidades de Conservação no Bioma Caatinga em Pernambuco." A próxima reunião ordinária ocorrerá no primeiro trimestre de 2017 de acordo com calendário a ser elaborado. (Fotos: SEMAS).


Ata da 27ª Assembléia Ordinária do Comitê Estadual da Reserva da Biosfera da Caatinga - CERBCAA/PE

Imagem
Em reunião realizada na Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Governo do Estado de Pernambuco - SEMAS, no dia 20.09.2016, os membros do Comitê Estadual da Reserva da Biosfera da Caatinga - CERBCAA, traçaram um breve diagnóstico do Comitê e do Conselho da Reserva - CNRBCAA e produziram a seguinte ata que segue abaixo para conhecimento. ATA DA 27 Reunião do CERBCAA/PE "Aos vinte dias do mês de setembro do ano de dois mil e dezesseis, às nove horas e quarenta minutos na sede da Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Estado de Pernambuco – SEMAS, na cidade de Recife – Pernambuco, foi realizada a ­­­27ª Assembléia Ordinária do Comitê Estadual da Reserva da Biosfera da Caatinga - CERBCAA/PE. A reunião foi aberta pelo Coordenador Geral do CERBCAA/PE, Wilame Jansen, que passou a palavra ao Gerente Geral de Desenvolvimento Sustentável da SEMAS, Paulo Teixeira, que representando o Secretário Estadual, Sérgio Xavier deu boa vindas aos participantes da reunião …

Cemafauna Caatinga ajudando na conservação dos animais silvestres no semiárido nordestino desde 2008

Imagem
Fachada. Foto: Divulgação
Na semana do Dia Nacional de Defesa da Fauna comemorado dia 22, o Centro de Conservação e Manejo de Fauna da Caatinga (Cemafauna Caatinga) com sede no Campus de Ciências Agrárias da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) em Petrolina, interior de Pernambuco, não para e cotidianamente presta serviços para a sociedade, em especial, no que diz respeito a conservação ambiental. De 2008 até julho desse ano, cerca de 133 mil animais foram resgatados, desse total, 87% deles foram reintroduzidos na natureza depois de passar por todo o processo de triagem, cuidados médicos, alimentação e reabilitação para a vida selvagem. Veados, tatus, tamanduás, macacos, cachorros-do-mato, gatos-do-mato, guaxinins, papagaios, maracanãs, jiboias, e muitos outros já foram devolvidos ao seus habitats naturais. Alguns exemplares de algumas espécies são mantidos em coleções científicas de cada um dos cinco grupos de fauna – mamíferos, peixes, répteis, aves e insetos – para…

Rio São Francisco - A extinção da caatinga (ESTUDO)

Imagem
Um estudo aponta que o bioma caatinga, único bioma exclusivamente brasileiro, está em sério risco de extinção por conta das mudanças perpetradas no Rio São Francisco nas últimas duas décadas. A caatinga ocupa, ainda, 10% do território brasileiro e, apesar do seu aspecto agreste e seco, é um bioma muito rico em biodiversidade e importantíssimo para a manutenção do equilíbrio ecológico da região à qual pertence. O estudo de José Alves Siqueira, professor da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), em Petrolina, Pernambuco que resultou na publicação do livro “Flora das caatingas do Rio São Francisco: história natural e conservação”, vem acrescentar uma nota de alarme à situação de degradação acelerada que este bioma vem sofrendo desde a década de 1990. Antes eram os desmatamentos, a transformação do uso da terra para a monocultura de algodão, o uso de maquinário pesado que destrói a estrutura do solo e agora, nos dois últimos anos especialmente, a redução drástica da vaz…
Imagem
Assunto: Convite

Prezados membros do Comitê Estadual da Caatinga,
Convidamos  para a 27ª Reunião do Comitê Estadual da Reserva da Biosfera da Caatinga - CERBCAA/PE, a realizar-se na próxima terça-feira (20), às 09:30h na Semas - Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Estado de Pernambuco, Av. Conselheiro Rosa e Silva, 1339, Jaqueira, Recife - PE.
Atenciosamente,
Marcelo Teixeira Secretário Executivo do CERBCAA/PE
Imagem
ciência/m.ambiente Caatinga UFRPE e ambientalistas cobram Unidades de Conservação da Caatinga Processo de criação das unidades de conservação estaduais no semiárido pernambucano foi interrompido Publicado em 17/09/2016, às 08h08 Serra das Abelhas, em Exu, no Sertão, tem potencial para ser transformada em unidade protegida, segundo pesquisadores Foto: Divulgação Da Editoria Cidades

Professores da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) e a Associação Pernambucana de Defesa da Natureza (Aspan) cobram do governo do Estado a implantação das Unidades de Conservação prometidas para o semiárido. “O processo de criação de áreas protegidas na caatinga começou, mas não foi finalizado”, destaca a bióloga da URPE Ednilza Maranhão. Ela informa que abaixo-assinado com mais de 3,6 mil nomes será protocolado na Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), Conselho Estadual de Meio Ambiente (Consema) e Agência Pernambucana de Meio Ambiente (CPRH). “Nem todas as áreas indicadas foram…
Imagem
Arara azul será reintroduzida no Brasil
Lembra da animação Rio, que tinha como personagem uma arara azul? Foi a arara azul que inspirou a criação da personagem Blue, por estar em vias de extinção desde 2000. A boa notícia é que a arara azul receberá uma área especial para ser reintroduzida no Brasil graças a um projeto do Ministério do Ambiente, que construirá, na Bahia, o Centro de Reintrodução e Reprodução da Ararinha-Azul na Caatinga.Calcula-se que o projeto custará aos cofres públicos cerca de R$ 5 milhões, até que a espécie tenha condições de retornar a seu habitat natural, previsto para ocorrer em 2019. 120 indivíduos da espécie, nativa da caatinga, vivem em cativeiro no Catar, Alemanha e Brasil. Qualquer espécie ameaçada de extinção ameaça o ecossistema. É o que vem acontecendo com a região da caatinga, que há mais de quinze anos vem sendo afetada pela falta das araras, diz o ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho. A fazenda que receberá as araras fica localizada às margens do…
ÁREAS PRIORITÁRIAS PARA CONSERVAÇÃO, USO SUSTENTÁVEL E REPARTIÇÃO DE BENEFÍCIOS DA BIODIVERSIDADE BRASILEIRA


Clique aquipara acessar os Resultados da 2° Atualização das Áreas Prioritárias

Introdução

As Áreas Prioritárias para a Conservação, Utilização Sustentável e Repartição dos Benefícios da Biodiversidade são um instrumento de política pública para apoiar a tomada de decisão, de forma objetiva e participativa, no planejamento e implementação de ações como criação de unidades de conservação, licenciamento, fiscalização e fomento ao uso sustentável. As regras para a identificação de tais Áreas e Ações Prioritárias foram instituídas formalmente pelo Decreto nº 5092 de 21/05/2004 no âmbito das atribuições do MMA.

A atualização das Áreas e Ações Prioritárias, em função da disponibilidade de novos dados,  informações e instrumentos, é uma prioridade do MMA, em consonância com as estratégias recomendadas pela Convenção sobre Diversidade Biológica (CDB), pelo Plano de Ação para Implementaçã…
Imagem
Dia Nacional da Caatinga: Codevasf investe em estratégias de conservação do bioma brasileiro



O apoio da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) às ações voltadas para a conservação da Caatinga é destaque neste 28 de abril, quando se comemora o Dia Nacional da Caatinga. A empresa, por meio do Programa de Revitalização da Bacia Hidrográfica do rio São Francisco, tem apoiado estratégias técnico-científicas que promovem a conservação e o uso sustentável desse bioma, exclusivamente brasileiro, que ocupa 11% do território nacional. Ações dessa natureza estão sendo desenvolvidas nos Centros de Referência em Recuperação de Áreas Degradadas, como o Centro da Universidade Federal de Alagoas (CRAD/UFAL), campus de Arapiraca, e o da Universidade Federal do Vale do São Francisco (CRAD/Univasf), implantados com apoio financeiro da Codevasf/Ministério da Integração Nacional (MI). “O principal objetivo desses centros é desenvolver modelos para rec…

O risco da caatinga virar um deserto"A vegetação típica do Nordeste está literalmente sumindo do mapa

Imagem
Fonte:  Diario de Pernambuco

Bioma exclusivamente brasileiro, a caatinga tem até um Dia Nacional instituído em 2003: 28 de abril. Pena que a passagem da data, mais uma vez, não foi de celebração. A vegetação típica do Nordeste está literalmente sumindo do mapa. Um terço de sua área já se transformou em deserto e o ecossistema típico do semiárido perde terreno ao ritmo de três mil quilômetros quadrados por ano. Dos 950 mil km2 distribuídos entre os nove estados do Nordeste e o norte de Minas Gerais, 300 mil km2  transformaram-se em poeira, com a perda definitiva de vegetação mamíferos, abelhas, anfíbios,  répteis e peixes.
Apesar de sua riqueza e de ocupar 12% do território nacional, a caatinga não tem a mesma visibilidade do que a floresta amazônica, a mata atlântica e até mesmo o cerrado, que conseguem mobilizar até instituições internacionais para suas preservações. Pesquisadores nordestinos travam uma batalha diária para divulgar seus trabalhos e chamar a atenção para a preservaçã…
Imagem
A exploração do gesso e os riscos da desertificação
O gesso e as placas utilizadas em tetos, banheiros e cozinhas vêm da Chapada do Araripe (PE), onde 80% da vegetação da caatinga foram queimadas.


                                           Najar Tubino


Ouricuri (PE) – A caatinga está verde no sertão de Pernambuco, com as chuvas que caíram em janeiro. A esperança dos sertanejos, reunidos na Caravana Agroecógica e Cultural organizada pela Articulação Nacional de Agroecologia (ANA), em parceria com as organizações sociais Caatinga – presente a 25 anos na região-, da ASA e da Universidade Federal Rural de Pernambuco é que ela continue em março. O milho e o feijão já nasceram, mas correm o risco de secar, se a chuva não chegar, encerrando um ciclo de quatro anos seguidos de estiagem.

A Chapada do Araripe está no extremo oeste do estado, no limite com o Ceará e o Piauí, conta com 11 municípios, uma população de 231 mil habitantes, conhecido nacionalmente pelo gesso industrial e agrícola aqu…

Mudanças climáticas à vista nas margens do Rio São Francisco

Imagem
Mudanças climáticas à vista nas margens do Rio São Francisco

Na Bahia, quase a metade das cidades da caatinga, no entorno do Rio São Francisco, têm alto risco de sofrer danos provocados pelas mudanças climáticas nos próximos 25 anos. A conclusão é de um estudo realizado por pesquisadores da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) que mapeou a vulnerabilidade às alterações do clima em 84 municípios, que fazem parte da bacia hidrográfica do Velho Chico e estão localizados na região do bioma caatinga. Coordenada pelo Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz), Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP/Fiocruz) e Centro de Pesquisas René Rachou (Fiocruz-Minas), a pesquisa utiliza uma metodologia desenvolvida na Fiocruz que já foi aplicada para mapear a vulnerabilidade nas cidades do Rio de Janeiro. O trabalho foi financiado pela Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, por meio de edital, e contou com o apoio da Vice-Presidência de Ambiente, Atenção e Promoção da Saúde da F…