Parque Nacional das Sete Cidades

Foto Ibama
De acordo com vários historiadores brasileiros, as formações encontradas no Parque Nacional de Sete Cidades abrigaram a nação indígena Tabarana, formada pelas tribos dos Quirirus e dos Jenipapos. A área dominada por este grupo se limitava ao norte pela região costeira, a oeste pelo rio Parnaíba, ao sul pelo rio Poty e a Leste pela Serra da Ibiapaba. O Parque foi criado em 1961, para contribuir no processo de preservação local.Fauna: As espécies mais comuns no parque são suçuarana, veado-mateiro, tatu verdadeiro, mocó, jacu, iguana, paca, tamanduá-mirim, cutias e várias répteis. É uma área de transição entre cerrado e caatinga, onde as espécies do primeiro tipo dominam, acompanhadas de manchas de campos abertos Inundáveis e matas ciliares. Atrações: Não deixe de visitar as piscinas naturais e cachoeiras, além dos monumentos geológicos e pinturas rupestres. O Parque é aberto à visitação o ano inteiro, sendo que as visitas podem ser feitas durante toda a semana, entre as 8h e às 17h. Localização e acessos: Fica no norte do Estado do Piauí, nos municípios de Brasileira e Piracuruca. Há duas formas de se chegar ao Parque. Uma delas é através do trecho Piripiri-Fortaleza, da BR-222, e a outra é através da BR-343, estrada que liga Teresina a Paranaíba. Área7,7 mil ha Temperatura Média AnualEntre 24 e 26°Infra-estruturaO Parque conta com alojamento para pesquisadores e Centro de Visitantes (com sala para exposição e sala de áudio-visual). A época mais indicada para visitação vai de dezembro a junho, quando o clima é mais ameno. A entrada no Parque custa R$ 3 por pessoa. As visitas são preferencialmente guiadas, e os preços dos serviços dos guias são afixados pelo Ibama. (Fonte:Ecoturismo Autor: Ana Karla Rodrigues)
Mais informaçõesFone: (86) 343-1342

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O risco da caatinga virar um deserto"A vegetação típica do Nordeste está literalmente sumindo do mapa

Rio São Francisco - A extinção da caatinga (ESTUDO)