Herbário da Univasf passa a integrar rede mundial

Flores de Leguminosae, a família de plantas mais diversa
no Semi-árido brasileiro [Fotos L.P. Queiroz]
O herbário da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) sob a curadoria do Centro de Referência para Recuperação de Áreas Degradadas (Crad) ganhou visibilidade internacional e passou a fazer parte da rede mundial de herbários. O que garantiu o ingresso da unidade no Index Herbariorum (do New York Botanical Garden) – entidade que funciona como base de dados para a comunidade científica internacional – foram os mais de cinco mil exemplares de espécies da caatinga presentes em seu acervo. Para os pesquisadores do Crad, o registro no Index dá o devido reconhecimento a um trabalho cuidadoso que vem sendo realizado há quatro anos e vai favorecer as pesquisas sobre plantas nativas, ampliando o conhecimento acerca da biodiversidade botânica do semiárido nordestino. “É o mais jovem herbário brasileiro reconhecido internacionalmente”, destaca José Alves de Siqueira, diretor do Crad. Segundo ele, entre as funções de um herbário está “a catalogação das espécies coletadas no campo possibilitando coleção de plantas secas guardadas em locais apropriados para fazer o inventário vegetal de diversas localidades”. Com base nos estudos realizados, pesquisadores propõem melhorias nas condições de manejo e ações de conservação e recuperação da flora auxiliando o planejamento ambiental e intervenções em casos de acidentes ecológicos. A documentação florística da caatinga, único bioma exclusivamente brasileiro, que ocupa 11% do território nacional e viabiliza projetos na revitalização do Rio São Francisco. “Além do herbário, outras unidades do Crad como os laboratórios de sementes, de geoprocessamento, de restauração florestal e de produção vegetal têm mobilizado uma equipe de quase 30 pessoas”, informa o pesquisador. O herbário é apoiado pelos programas de revitalização e integração de bacias dos ministérios da Integração Nacional e do Meio Ambiente.
(Fonte: A Tarde On Line - Cristina Laura)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O risco da caatinga virar um deserto"A vegetação típica do Nordeste está literalmente sumindo do mapa

Rio São Francisco - A extinção da caatinga (ESTUDO)