Fazenda na Caatinga preserva rochas e cavernas da pré-história.


Pelo caminho, são mais de 600 espécies de plantas que revelam a riqueza da vida no lugar.
Na fazenda, há pelo menos cinco trilhas. Lá, há pinturas e gravuras de mais de oito mil anos.

O principal roteiro turístico de Sergipe fica no sertão, em plena caatinga e às margens do Rio São Francisco. Uma bela opção para quem quer dar uma esticadinha até o Nordeste do Brasil.
A área de 700 hectares em pleno sertão era para ser mais uma fazenda de gado. Seu Augusto é um apaixonado pela caatinga. Quando comprou a propriedade, há 30 anos, resolveu mudar de idéia: “Observei que a caatinga tinha muito mais para me oferecer que a pastagem. Tentei preservar”, conta.
Pelo caminho, são mais de 600 espécies de plantas que revelam a riqueza da vida no lugar. Na fazenda, há pelo menos cinco trilhas. Por elas, é possível encontrar mais uma riqueza bem guardada por ali: rochas que serviram de tela para o homem da pré-história. São pinturas e gravuras de mais de oito mil anos.
Pesquisadores identificaram ali nove sítios arqueológicos. Rochas e cavernas se espalham pela fazenda, que ainda reserva, no final das trilhas, o espetáculo do Rio São Francisco. É um convite ao mergulho e à contemplação.
De um lado e do outro do rio, caatinga e paredões gigantes, alguns com mais de 70 metros, como o Morro dos Macacos e a Pedra do Gavião. O lugar recebe por ano mais de 100 mil visitantes.
(Fonte: Jornal Floripa)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O risco da caatinga virar um deserto"A vegetação típica do Nordeste está literalmente sumindo do mapa

Rio São Francisco - A extinção da caatinga (ESTUDO)