Aquecimento deixa planeta em alerta

Fazendeiro observa sua fazenda, gravemente atingida pela seca

Nos últimos 150 anos, a temperatura da Terra, segundo apontam pesquisas científicas, aumentou de forma nunca vista. O fenômeno preocupa o meio acadêmico, que prevê conseqüências catastróficas para o planeta, caso continue esquentando. É importante ter-se claro que variações climáticas – mesmo eventualmente bruscas – são comuns e fazem parte dos processos naturais. O preocupante, conforme o professor Jefferson Cardia Simões, do Núcleo de Pesquisas Antárticas e Climáticas (Nupac), da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), é a velocidade com que essas modificações no clima têm se processado nos últimos 10 anos. Ele afirma que nada similar ocorreu em 650 mil anos. Mas o que estaria provocando esse aumento tão rápido e intensivo do calor? Para o coordenador do Curso de Meteorologia da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), professor Otávio Acevedo, – e também para grande parte da comunidade científica – é sem dúvida a ação do homem. A queima de combustíveis fósseis e outras atividade produtivas humanas aumentariam a concentração de gás carbônico (CO2) e metano (CH4) na atmosfera, potencializando o efeito estufa. Essa preocupação científica ganhou força mundialmente com a divulgação, em fevereiro de 2007, de um relatório do Painel Intergovernamental sobre Mudança Climática (IPCC, na sigla em inglês) afirmando que a ação humana é, provavelmente, responsável por esse aumento na temperatura. De acordo com esse estudo, a probabilidade de o homem ser responsável pelo aquecimento global é de 90%. O relatório do IPCC indica um possível aumento de até 4,5ºC na temperatura terrestre. Segundo o texto, os efeitos já podem ser sentidos, e continuarão a atuar pelos próximos séculos, mesmo que a emissão de gases estufa pelo homem seja eliminada imediatamente.
(Fonte: André Crespani - Ambiente)

Comentários

  1. O Ano de 2009 pode ser um dos mais quentes da história

    O ano de 2009 nem bem começou e as notícias sobre aquecimento Global já começam a surgir. Segundo cientistas britânicos especializados em clima, este ano deverá ser um dos mais quentes já registrados.

    Segundo os especialistas, ligados ao Met Office da Inglaterra, apesar do resfriamento de grandes áreas do Oceano Pacífico pelo fenômeno La Niña, a temperatura média global em 2009 deverá ficar 0.4 grau Celsius acima da média de longo prazo. Assim, 2009 será o ano mais quente desde 2005. Ainda de acordo com os estudiosos, existe uma possibilidade crescente de que as temperaturas batam novos recordes a partir de 2010.Até agora, o ano mais quente foi registrado em 1998, quando a temperatura média na Terra atingiu 14.52 graus Celsius, acima portanto da média histórica registrada entre 1961 e 1990, que foi de 14 graus Celsius. Naquele ano O calor foi fortemente influenciado pelo fenômeno El Niño, um aquecimento anormal da área tropical do oceano Pacífico. MecanismosExistem diversas teorias que explicam os mecanismos que causam o El Niño e La Niña e praticamente nenhum cientista tem dúvida que cada vez mais esses mecanismosexercem papel importante no padrão climático da Terra. Um deles é a força dos ventos que sopra do leste em direção ao oeste em todo o Pacífico equatorial.Segundo o professor Chris Folland, ligado ao Met Office, O aquecimento em níveis recordes é mais provável quando um El Niño moderado se desenvolve. "Fenômenos como o El Niño e La Niña têm grande influência na temperatura da superfície em escala mundial." De acordo com o professor Phil Jones, diretor para pesquisas climáticas da Universidade de East Anglia, o fato de 2008 não ter quebrado o recorde aquecimento não significa o aquecimento global acabou. O professor explicou que a temperatura média da Terra entre 2001 e 2007 foi de 14.44 graus Celsius, 0.21 grau mais quente que os valores correspondentes entre 1991 e 2000."Isso mostra claramente que a taxa de aquecimento permance crescendo", disse Jones.

    foto: Seca na Amazônia em 2005. Lago próximo à cidade amazônica de Manaquiri, transformado em um raso córrego, por onde somente pequenas canoas conseguiam trafegar. Segundo o INPE, Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais a seca pode ter sido causada pelas altas temperaturas verificadas no oceano Atlântico tropical Norte. Crédito: Greenpeace.


    Fonte: OZÕNIO

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Alô amigos(as)caatingueiros(as). Neste espaço deixem seus comentários sobre as notícias e sobre o BLOG.

Postagens mais visitadas deste blog

O risco da caatinga virar um deserto"A vegetação típica do Nordeste está literalmente sumindo do mapa

Rio São Francisco - A extinção da caatinga (ESTUDO)