A festa do umbu na Bahia


Agricultores da região de Uauá, no nordeste da Bahia, organizaram a 1ª festa do Umbu. O objetivo é mostrar a variedade de produtos que podem ser feitos com a fruta.
Eles chegam em família para fazer a colheita e passam horas escolhendo os melhores frutos do umbuzeiro. Agora, na época de safra, o umbuzeiro produz uma média de 15 mil frutos, com cerca de 300 quilos.
O umbuzeiro geralmente cresce na vegetação da caatinga, com ar seco e dias ensolarados. Requer clima quente e desenvolve melhor em solos não-úmidos. É que a árvore por si só já armazena muita água.
Talvez por isso a árvore seja considerada sagrada pela região. Mesmo na seca os frutos aparecem. Em 2003, os agricultores criaram uma cooperativa para organizar a comercialização do umbu. A iniciativa começou com 44 famílias. Hoje reúne mais de 300.
O agricultor José Edmilson Alves é um dos cooperados e acredita que a associação foi importante para a região. “Descobriu-se uma potencialidade enorme de produtos. As pessoas antes só conheciam o umbu. Com o beneficiamento, conhecemos a compota, a geléia e o próprio suco”, disse.
Os produtos feitos à base de umbu ficam à mostra na cooperativa. Doces, geléias, sucos e até a raiz do umbuzeiro é aproveitada como alimentação. Alguns produtos começaram a ser exportados há três anos.
Nesse fim de semana, os cooperados organizaram uma festa para mostrar a importância do umbu para a região. No centro de Uauá: oficinas, artesanato e uma infinidade de comida feita à base de umbu.
A pernambucana Maria do Socorro Sampaio, de passagem pela cidade, não resistiu ao doce da fruta.

Comentários

  1. Luiz Guilherme Façanha - ICMbio29 de janeiro de 2009 12:08

    O Programa de Incentivo às Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPN) da Mata Atlântica, coordenado pelas ONGs Conservação Internacional, Fundação SOS Mata Atlântica e The Nature Conservancy (TNC), está com inscrições abertas para seu sétimo edital de projetos, pela primeira vez englobando toda a Mata Atlântica. Um total de R$ 500 mil, compostos com recursos do Bradesco Cartões, da TNC e da parceria inédita com o Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (Funbio) e o banco alemão KfW, será destinado para criação individual, em conjunto ou para projetos de elaboração e implementação de Planos de Manejo.
    As propostas devem ser encaminhadas por correio até o dia 16 de fevereiro. Desde o primeiro edital, o programa já beneficiou 172 projetos, num total de 260 reservas em processo de criação que protegem mais de 16 mil hectares em áreas de remanescente chave para a conservação da Mata Atlântica. Pela primeira vez, o programa apoiará os proprietários de terras em todo o Bioma Mata Atlântica: 3.276 municípios e 1.300.000 km2.
    Para mais informações e download do Edital, acesse:
    http://www.nature.org/ wherewework/southamerica/ brasil/news/news2991.html
    Sintam-se a vontade para encaminhar para sua lista de contatos.
    (Enviado por Façanha)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Alô amigos(as)caatingueiros(as). Neste espaço deixem seus comentários sobre as notícias e sobre o BLOG.

Postagens mais visitadas deste blog

O risco da caatinga virar um deserto"A vegetação típica do Nordeste está literalmente sumindo do mapa

Rio São Francisco - A extinção da caatinga (ESTUDO)