Petrolina sedia segunda oficina de combate à desertificação

Foto: LEOPOLDO NUNES

A Secretaria de Ciência Tecnologia e Meio Ambiente de Pernambuco (Sectma) vai realizar nesta terça-feira (14), no município de Petrolina, a segunda das cinco oficinas regionais de construção do Programa de Combate à Desertificação e Mitigação dos Efeitos da Seca (PAE-PE). No encontro, estarão presentes técnicos da Sectma, Representante do Comitê Estadual da Caatinga - CERBCAA/PE(Raimundo Guaraci), membros da sociedade civil organizada, representantes de Organizações Não Governamentais (ONGs) e de setores produtivos de 14 municípios do Sertão do São Francisco e Sertão de Itaparica.
As oficinas funcionam em caráter consultivo e servem para colher contribuições dos envolvidos no processo de desertificação no Estado para a construção do PAE-PE. Muitas vezes o homem do campo não sabe o que significa desertificação, no entanto, está tão envolvido no cenário, que passa a ser uma importante fonte de contribuição nesse processo de construção do Programa Estadual de Combate à Desertificação. É com a participação dessas pessoas que o programa será elaborado, explicou o secretário executivo de Meio Ambiente da Sectma, Aloysio Costa Junior.
Na primeira oficina, que ocorreu em Salgueiro (30 e 31/03 e 01/04), a equipe da Sectma detectou problemas como excesso de desmatamento, fiscalização insuficiente, práticas agrícolas não sustentáveis e a gestão deficiente de recursos hídricos como principais agravantes da desertificação naquela região. Ao término do ciclo das cinco oficinas, a Sectma terá em mãos um diagnóstico do processo climático, no Sertão e Agreste do Estado, para que possa traçar as diretrizes necessárias à implantação do PAE-PE.
As próximas oficinas acontecerão nos municípios de Triunfo (28, 29 e 30/04), Garanhuns (05, 06 e 07/05) e Taquaritinga do Norte (12, 13 e 14/05). Ao todo participarão das oficinas representantes de 118 cidades da região do Agreste e Sertão do Estado.
PARCERIA - A realização das oficinas de construção do PAE-PE é uma iniciativa da Sectma, em parceria com o Ministério do Meio Ambiente (MMA), a Agência de Cooperação Alemã (GTZ), o Instituto Interamericano de Cooperação para Agricultura (IICA), a Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe) e organizações e movimentos da sociedade civil.

Comentários

  1. oficina de desertificação em Petrolina
    Publicada em 15/4/2009, às 10:08:50

    Representantes Indígenas dos Pankarás, aldeia localizada no município de Itacuruba, Sertão do Itaparica, participaram na tarde de ontem (14), da segunda das cinco oficinas regionais de construção do Programa de Combate à Desertificação e Mitigação dos Efeitos da Seca (PAE-PE). As oficinas são coordenadas pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente do Estado (Sectma) e acontecerá até a próxima quinta-feira (16), em Petrolina.

    Os Pankarás apresentaram sua experiência em reflorestamento na própria aldeia. A ação começou a ser desenvolvida por eles ao perceberem a existência de áreas suscetíveis à desertificação em suas terras. “Temos que cuidar de nossa mãe terra, por isso estamos aqui participando dessa oficina, para trocar experiências e aprender outros modos de preservar nossa aldeia”, explicou a representante dos Pankarás, Cícera Lemos.

    Cícera explicou também que, dentro do reflorestamento feito na aldeia, existe um trabalho específico com o caroá (bromélia típica da região, do qual se aproveita principalmente as fibras), muito usada pela tribo na confecção de artesanatos e que ainda serve de fonte hídrica, pois absorve muita água do solo. “Hoje em dia os homens vão buscar o caroá muito longe, pois perto da Aldeia não tem mais. Foi tirado todo o Caroá que tinha, por isso estamos dando preferência ao replantio dele”, reforçou.

    Além dos indígenas, estão participando das oficinas, técnicos da Sectma, membros da sociedade civil organizada, lideranças de comunidades quilombolas, representantes de Organizações Não Governamentais (ONGs), e de setores produtivos de 14 municípios do Sertão do São Francisco e Sertão de Itaparica.

    O gerente de políticas de Meio Ambiente da Sectma, Normando Carvalho, destacou durante a abertura das oficinas a importância das oficinas para a elaboração do PAE-PE. “Essas oficinas são uma ferramenta que o governo do Estado está usando para levantar dados, identificar alternativas e desenvolver ações que possam minimizar os efeitos da desertificação, nas regiões atingidas por esse fenômeno climático. A participação de todos que aqui estão é muito importante para a construção do Programa Estadual de Combate à Desertificação”, explicou.

    Normando destacou também o fortalecimento institucional do Sistema Sectma, através da inserção de 300 novos contratados da Agência Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (CPRH), que passam a atuar também nas regiões de desenvolvimento do interior do Estado. “Com os novos concursados, a CPRH vai instalar postos avançados nas regiões do Agreste e Sertão, e o órgão estará mais presente, possibilitando maior controle ambiental nessas regiões”, completou.

    A segunda oficina de Construção do PAE-PE acontecerá até a próxima quinta-feira (16), no Petrolina Palace Hotel. As próximas oficinas serão realizadas nos municípios de Triunfo (28, 29 e 30/04), Garanhuns (05, 06 e 07/05) e Taquaritinga do Norte (12 13 e 14/05). Ao todo participarão das oficinas 118 cidades da região do Agreste e Sertão do Estado. Ao término do ciclo de oficinas, a Sectma terá em mãos um diagnóstico do processo de desertificação no Estado para que possa traçar as ações a serem desenvolvidas.
    (Fonte: Sectma)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Alô amigos(as)caatingueiros(as). Neste espaço deixem seus comentários sobre as notícias e sobre o BLOG.

Postagens mais visitadas deste blog

O risco da caatinga virar um deserto"A vegetação típica do Nordeste está literalmente sumindo do mapa

Rio São Francisco - A extinção da caatinga (ESTUDO)