Manejo Florestal da Caatinga: Relato da viagem à Serra Talhada (PE).





Conforme informamos em e-mail anterior nos dias 15 e 16 de abril último, visitamos áreas de assentamento de reforma agrária no município de Serra Talhada (PE) em companhia de técnicos do MDA - Ministério do Desenvolvimento Agrário, Cássio Trovatto e José Rui, e dos Engenheiros Florestais da APNE - Associação Plantas do Nordeste, Frans Pareyn e Danilo Gomes. No primeiro dia fomos até o assentamento São Lourenço, que fica a 40 kms da sede de Serra Talhada, chegamos lá após duas horas de viagem pois, a estrada de acesso está em péssimas condições, uma vez que na sexta-feira anterior choveu 125 mm.
O assentamento tem uma área de 973 ha explorados por 24 famílias. É uma área localizada ao lado da Serra que dá nome ao município, já na divisa com o Estado da Paraiba, e após excluir as áreas de preservação permanente e de reserva legal restam 125 hectares de caatinga que são manejados através de corte raso da vegetação, arbórea em maior parte, com intervalo de corte para cada talhão de 15 anos.
A lenha obtida no manejo é comercializada na forma de carvão com um preço médio de R$ 7,00/Sc de 30 kgs.
No segundo dia visitamos o assentamento Lajinha, agora contando com a participação de Rivaneide, representante da Ong CECOR no Comitê Estadual da Caatinga - CERBCAA/PE e do técnico agrícola do IPA - Instituto Agronômico de Pernambuco, Eduardo.O Assentamento Lajinha tem uma área de 736 ha e também tem o mesmo número de famílias e explora a mesma área de Caatinga no sistema de manejo sustentável porque a área de preservação permanente é bem menor. A vegetação é mais rala que o assentemento visitado no dia anterior e a comercialização é feita na forma de lenha ao preço médio de R$ 12,00/m³.
Nos dois assentamentos ouvimos palavras de satisfação referente ao resultado fianceiro proporcionado pelo manejo florestal, e a assistência técnida da APNE. Reclamações apenas para a morosidade das autorizações para corte dos talhões e do licenciamento da atividade pela CPRH - Agência Estadual de Meio Ambiente.
Na volta do assentamento Lajinha, nos reunimos com a direção do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Serra Talhada, com a participação do Professor Bonzinho, também membro do CERBCAA/PE, e do ex-presidente da CONTAG Manoel dos Santos.
Na oportunidade, Frans Pareyn relatou os trabalhos da APNE sobre Manejo Florestal da Caatinga, onde aproveitei a oportunidade e comentei sobre a composição, os objetivos e as ações que o Comitê Estadual da Reserva da Biosfera da Caatinga - CERBCAA/PE tem realizado no Estado de Pernambuco.
Os técnicos do MDA falaram da impressão positiva que levam sobre os trabalhos que presenciaram e que no retorno à Brasília vão procurar o MMA - Ministério do Meio Ambiente, visando uma atuação conjunta destes ministérios voltada para o manejo florestal da Caatinga.

* Elcio Alves de Barros - Coordenador do CERBCAA/PE

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O risco da caatinga virar um deserto"A vegetação típica do Nordeste está literalmente sumindo do mapa

Rio São Francisco - A extinção da caatinga (ESTUDO)