A Rota do Vinho mostra as belezas do Vale do São Francisco. Da água para o vinho. Milagres do Velho Chico.



A Caatinga, em tupi-guarani mata branca, é um bioma unicamente brasileiro, localizado no Semiárido nordestino, entre o estado do Piauí e Norte de Minas Gerais. Apesar da imagem negativa de seca e miséria difundida pela grande mídia, este ecossistema guarda encantos de singular beleza, a exemplo do Vale do São Francisco e suas espécimes raros da flora e da fauna
O Vale do rio São Francisco é um pólo de desenvolvimento tecnológico da fruticultura irrigada, implantado pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) e iniciativa privada, com apoio da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). O impacto na paisagem contrastante da caatinga do Sertão com o verde exuberante dos projetos de irrigação produz frutas e vinhos exportados para os principais mercados do mundo.
Nos anos 60, o Vale do São Francisco ganhou atenção dos militares, que vislumbraram a região como um centro de energia e produção de alimentos. Foi quando começaram os projetos de irrigação da Codevasf com a água do Rio São Francisco. O núcleo de mudança foi a cidade de Petrolina, em Pernambuco.
Em sua órbita, hoje, cultiva-se 1 milhão de toneladas de frutas, com safras avaliadas em 1,3 bilhão de dólares. A fruticultura transformou não só a paisagem, mas a vida de 800.000 pessoas que trabalham no setor. Um hectare plantado de uva rende sessenta vezes mais que a mesma área destinada à pecuária e emprega seis vezes mais. Nas últimas décadas, os produtores locais intensificaram a produção de vinhos onde almejam converter o Vale do São Francisco na versão brasileira do Napa Valley, a famosa região produtora de vinhos da Califórnia. Vinícolas como a Botticelli, a ViniBrasil e a gaúcha Miolo lideram a produção de vinhos mais elaborados do lugar.
A região dispõe da infra-estrutura do Aeroporto Internacional de Petrolina; da hidrovia do São Francisco, com o Lago de Sobradinho, o maior lago artificial do mundo; de eclusas na Barragem de Sobradinho; de ligação rodoviária com as principais capitais do Nordeste; e de uma termelétrica com capacidade para geração 138 megawatts de energia.
Petrolina e a baiana Juazeiro se nutrem da economia da irrigação, pois apenas separadas por uma ponte, as duas cidades crescem juntas, embora Petrolina tenha a economia mais robusta.
Faltam vagas na rede hoteleira das duas cidades, e os voos que operam para lá quase sempre estão lotados. Sinal do elevado movimento de investidores e técnicos agrícolas que percorrem os municípios que compõem o chamado perímetro irrigado. A prefeitura de Petrolina investe 1 milhão de reais na implantação de pontos de acesso sem fio e gratuito à internet. Escolas de idiomas se alastram pelas duas cidades, e edifícios de luxo são erguidos nas duas margens do rio (Veja, 01.09.2010 - "O Milagre do São Francisco" - Leonardo Coutinho).
O Rio São Francisco, a tecnologia e a força de uma gente empreendedora transformaram o Vale do São Francisco em um novo destino turístico, caracterizado pelos frutos da irrigação: enoturismo, técnico-científico, ecoturismo, gastronomia, cultura, artesanato, além do turismo náutico e lazer.
Depois de se render aos encantos da “Califórnia Brasileira”, é hora de multiplicar as emoções num cenário constrastante entre a misteriosa caatinga do sertão nordestino e o verde exuberante dos projetos de irrigação implantados pela Codevasf e hoje grandes produtores de frutas. Quem for ao passeio da Rota do Vinho deve ir aos municípios de Lagoa Grande e Santa Maria da Boa Vista, em Pernambuco e prossegue no lado baiano com visitas à Juazeiro, Casa Nova e Sobradinho, onde encontrará um destino turístico cheio de charme, história, arte e agradáveis surpresas. É importante conhecer e desfrutar dessa cultura autêntica e belezas naturais, visitando cada um dos roteiros e assim se apaixonar pela Rota do Vinho Vale do São Francisco, onde corre um rio cheio de magia e poesia.



Informações úteis: Codevasf: (87) 3866.7700 - Embrapa: (87) 3862.1711 – Sebrae: (87) 2101.8900 – Vinícola Biancheti: (87) 3991.2019 – Vinícola Botticelli: (87) 3860.1536 – Vinícola Ducos: (87) 3991.2025 – Vinícola Garziera: (87) 3869.9212 – Vinícola Miolo: (74) 3536.1132 – Vinícola Rio Sol: (87) 3860.1587 – Vinícola Cave do Sol: (87) 3985.1010 – SESC: (87) 3866.7474 – ASSITUR: (87) 3862.1616 – CHESF/Barragem: (74) 3816.2511 – Valexport: (87) 3863.6000 – Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Turismo e Eventos de Petrolina: (87) 3862.9261 – Aeroporto de Petrolina: (87) 3863.3366.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O risco da caatinga virar um deserto"A vegetação típica do Nordeste está literalmente sumindo do mapa

Rio São Francisco - A extinção da caatinga (ESTUDO)