Consema: novos membros e criação da reserva Tatu Bola

   PDF Imprimir
        Conselho de meio ambiente se reuniu em Petrolina, PE (Foto: Reprodução / TV Grande Rio)
A 76ª Reunião Ordinária do Conselho Estadual de Meio Ambiente - Consema teve como destaque a posse de novos quatro conselheiros no colegiado e a discussão da criação do Parque Estadual Tatu Bola, no Sertão do São Francisco. A Abertura dos trabalhos ficou a cargo do presidente do conselho e secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Carlos André Cavalcanti, que saudou os presentes e cumprimentou os novos membros do Consema, que de acordo com a Lei 15.303, sancionada pelo governador João Lyra Neto, passou de 44 para 48 integrantes.

Entre os novos conselheiros, representantes das comunidades tradicionais a exemplo dos ciganos, quilombolas e povos indígenas. O presidente da Agência Estadual de Meio Ambiente - CPRH, Paulo Teixeira, assumiu o assento da autarquia, antes ocupado pelo então presidente Carlos Cavalcanti, e agradeceu a oportunidade de “contribuir com as discussões importantes para o meio ambiente de Pernambuco”. Teixeira aproveitou a ocasião para detalhar a programação da CPRH para o dia Mundial do Meio Ambiente e o Prêmio Vasconcelos Sobrinho. “Convido todos os conselheiros para participar deste evento muito importante para o nosso Estado e que vai contar com a presença do governador João Lyra”, destacou. A entrega do Prêmio Vasconcelos Sobrinho está marcada para esta quinta-feira, no auditório do Espaço Ciência.

Uma breve apresentação sobre o Edital de Publicações Ambientais também foi colocada em pauta, que incluiu ainda uma explanação do projeto de criação do Parque Estadual Tatu Bola, localizado entre os municípios de Petrolina, Santa Maria da Boa Vista e Lagoa Grande. O projeto, uma iniciativa da Universidade do Vale do São Francisco - UNIVASF, foi apresentado por José Alves de Siqueira, professor do Centro de Referência para Recuperação de Áreas Degradadas da Caatinga - CRAD/UNIVASF. Por unanimidade, ficou decidido que no prazo de 30 dias deve ser elaborada e apresentada pelo grupo de trabalho formado pela Secretaria Estadual de Meio Ambiente, CPRH e UNIVASF, a justificativa técnica da criação da Unidade do Tatu Bola para apreciação do governador João Lyra Neto. Durante a reunião ordinária do Conselho Estadual de Meio Ambiente (Consema) foi aprovada em Petrolina, Sertão pernambucano, a proposta de criação do Refúgio de Vida Silvestre Tatu-Bola. O encontro foi realizado na reitoria da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) nesta sexta-feira (29).

Com 27 votos a favor, dois contra e uma abstenção, a minuta de decreto foi aprovada e será encaminhada ao governo do Estado de Pernambuco. “Com a proposta de regulamentação do refúgio, deve ser estabelecida a criação do conselho gestor, em curto prazo, assim como a elaboração do plano de manejo da unidade”, explica o secretário estadual de meio ambiente e sustentabilidade, Carlos Cavalcanti.

A área de proteção integral terá 110 mil hectares de extensão e abrangerá as cidades de Petrolina, Santa Maria da Boa Vista e Lagoa Grande, todas do Sertão do estado, configurando a maior unidade de conversação de Pernambuco de proteção integral. “Nessa área qualquer desmatamento passará a ser crime ambiental e o uso será por meio da consulta ao plano de manejo. Ou seja, vamos disponibilizar um grande território de refúgio da vida silvestre. Na medida que a gente cria a unidade de conservação, a gente estabiliza área, melhorando as condições do microclima local”, destaca o secretário de meio ambiente. Ainda de acordo com Carlos Cavalcanti, com a licitação sendo iniciada no mês de outubro para contratação de empresas que possam elaborar o plano de manejo, será estabelecido um prazo de três meses do processo licitatório e posteriormente, um prazo de seis meses para execução.

O refúgio mesclará áreas públicas e particulares, por isso, devem ser desenvolvidas atividades que contemplem os proprietários. “Nós estamos com toda a preocupação para desenvolver atividades que fomentem arranjos produtivos locais, integrados à unidade de conservação com o plano de manejo. Queremos agregar valor ao desenvolvimento da agricultura orgânica, turismo científico envolvendo os alunos e professores da Univasf, e, possivelmente, planejando atividades de turismo ecológico na região”, afirma o secretário estadual.
(Fonte: Diário Oficial Estado de Pernambuco) (Fonte: G1)
 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O risco da caatinga virar um deserto"A vegetação típica do Nordeste está literalmente sumindo do mapa

Rio São Francisco - A extinção da caatinga (ESTUDO)