Projeto incentiva uso de plantas medicinais da caatinga







Agricultora Rita da Silva, que costuma usar plantas para tratar de dores de cabeça. Foto: acervo da Casa da Mulher do Nordeste
Agricultora Rita da Silva, que costuma usar plantas para tratar de
dores de cabeça.
Foto: acervo da Casa da Mulher do Nordeste
 
O uso de plantas medicinais da Caatinga é uma das práticas mais antigas na região do Pajeú, mas essa cultura têm se perdido ao longo dos anos. Para amenizar essa situação, o projeto Mulheres na Caatinga, executado pela Casa da Mulher do Nordeste, patrocinado pela Petrobras, por meio do Programa Petrobras Socioambiental, tem contribuído com a preservação das espécies, e proporcionado espaços de trocas de conhecimentos e saberes entre as mulheres sobre as plantas medicinais.

A agricultora Rita da Silva Fortunato, 50 anos, residente na comunidade de Poço Redondo, do município de Tabira, destaca o uso da Catingueira da Caatinga, espécie que está ameaçada de extinção, segundo o Ibama, para o uso da medicina. "Ela serve para o tratamento do calor da menor pausa e a receita é a seguinte: 200 gramas da flor da catingueira desidratada, 1 litro d'água limpa e potável. Para preparar, é só colocar as flores dentro d'água por um dia e deixa descansar, depois é só coar colocar em uma garrafa limpa e conservar na geladeira, e pode tomar três  vezes ao dia”, disse.

Rita explica que uma mesma planta pode ser utilizada para diferentes enfermidades, sendo, por isso, importante não fazer uso delas sem a devida orientação médica ou de algumas raizeiras como são conhecidas na região. "Devemos coletar essas plantas sem prejudicar suas propriedades, nem o seu desenvolvimento, de forma que elas estejam sempre disponíveis na Caatinga. E sempre que for preparar um remédio, utilize água limpa e tratada para evitar contaminação durante o preparo. Além disso, é importante usar sempre partes sadias das plantas, isto é, que não estejam contaminadas ou doentes", completou.

Para a CMN o Bioma Caatinga oferece aos povos e comunidades da região, serviços ambientais que atendem a maior parte das necessidades imediatas para a reprodução de suas famílias e culturas. Para as mulheres, principalmente, a Caatinga é fonte insubstituível de madeira, alimentos, fitoterápicos, produtos não madeireiros utilizados em rituais festivos e sagrados, e na confecção de artesanatos.

Comentários

Postar um comentário

Alô amigos(as)caatingueiros(as). Neste espaço deixem seus comentários sobre as notícias e sobre o BLOG.

Postagens mais visitadas deste blog

Rio São Francisco - A extinção da caatinga (ESTUDO)

O risco da caatinga virar um deserto"A vegetação típica do Nordeste está literalmente sumindo do mapa