Semana do Dia Nacional da Caatinga em Serra Talhada (PE). Tema: "Um momento de reflexão sobre a caatinga pernambucana".










Acontece nos dias 22 a 28 de abril de 2009, a semana do Dia Nacional da Caatinga no município de Serra Talhada. Várias atividades serão realizadas neste período, como por exemplo, palestras em escola privadas e publicas; exposição de trabalhos dos alunos de graduação de biologia da UAST/UFRPE; exibição do filme sobre a vida de Vasconcelos Sobrinho e palestras ministradas pela comunidade local sob o tema: Um Momento de Reflexão Sobre a Caatinga Pernambucana. Toda comunidade está convidada a participar desta discussão tão importante sobre a caatinga. Neste momento será oportuno para discutir a formação do subcomitê da Reserva da Biosfera Caatinga do Sertão do Pajeú, já que este evento esta sendo coordenado pela Profa. Lourinalda L. D. da Silva Selva de Oliveira, membro do Comitê Estadua da Reserva da Biosfera da Caatinga - CERBCAA/PE e pela Profa. Ednilza Maranhão, coordenadora do grupo de pesquisa Conservação e Uso Sustentável da Biosfera Caatinga.

Programação


Manhã:

- Pesquisa de Opinião na Cidade sobre o Tombamento da Serra Talhada.
- Exposição dos Alunos do Primeiro e do Quarto Período de biologia sobre a Caatinga.
- Apresentação de Mamulegos (“Os bichos da Caatinga”) em Escola Municipal com alunos do quarto período.
- Palestra em escolas particulares e estaduais sobre a fauna e flora da Caatinga.
-Exposição sobre o Prof. Vasconcelos Sobrinho – Auditório da UAST/UFRPE e Ações de conservação do prof. Homembom Magalhães (Escola Pequeno Príncipe) na conservação da Caatinga em Serra Talhada.- Escola Pequeno Príncipe, em parceria com outras Instituições de Ensino estão realizando EXPOSIÇÃO DE STANDES, DANÇAS E MÚSICAS SOBRE: FAUNA, FLORA, USOS E COSTUMES, DESERTIFICAÇÃO E PRÁTICAS DE CONSERVAÇÃO. Horário - 8h às 12h e Local: Praça Dr. Sérgio Magalhães

Noite:

- Abertura com o Filme sobre Vasconcelos Sobrinho – 10 min
- Informes: Comitê Estadual da Biosfera da Caatinga/ Prof. Drª. Lourinalda L D. da Silva Selva de Oliveira (Membro Interno do CERBCAA-PE) - 10 mim e Grupo de Pesquisa: Conservação e Uso Sustentável da Biodiversidade da Caatinga/ Prof. Drª. Ednilza Maranhão dos Santos (UAST/UFRPE) - 10 min.

Palestras “UM MOMENTO DE REFLEXÃO SOBRE A CAATINGA PERNAMBUCANA” com representantes de algumas instituições que atuam na conservação do Bioma:
· Colégio Francisco Mendes – palestrante Prof. Paulo Cesar - 20 min.
· Faculdade de Formação de professores de Serra Talhada - FAFOPST - palestrante Prof. Miguel Leonardo –20 min.
· Unidade Acadêmica de Serra Talhada/UFRPE – palestrante Prof. Dr. Mantim Montes – 20 min
Data: 28/04/2009
Local: Auditório da UAST/UFRPE
Horário: 18:30 h
Publico alvo: professores, estudantes e comunidade local.
(Leia os comentários das Professoras Lourinalda e Ednilza sobre a programação e o Bioma Caatinga))

Comentários

  1. Lourinalda L. D. da Silva Selva de Oliveira Professor Adjunto IIUnidade Acadêmica de Serra Talhada/UFRPE19 de abril de 2009 20:20

    Dia Nacional da Caatinga

    Bioma exclusivamente brasileira, a Caatinga ocupa uma área de 895 mil quilômetros quadrados e é um dos biomas mais ameaçados do globo pela exploração predatória. As principais causas da degradação ambiental na região são a caça, as queimadas e o desmatamento para retirada de lenha. Rico em espécies exclusivas e podendo ser considerado um dos conjuntos de formações vegetais mais especializadas do território brasileiro, o bioma Caatinga engloba de forma contínua parte dos estados do Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Bahia e Minas Gerais.
    Por iniciativa do Ministério do Meio Ambiente, um decreto assinado pelo presidente Lula instituiu em 2003 o dia 28 de abril como o Dia Nacional da Caatinga, em homenagem ao professor, pesquisador e ambientalista, João Vasconcelos Sobrinho que nasceu no dia 28 de abril de 1908, em Moreno, cidade da Região Metropolitana do Recife, Pernambuco. Pioneiro na área dos estudos ambientais no Brasil, é considerado uma das maiores autoridades em ecologia da América Latina.
    Criou e dirigiu, por muito tempo, o Jardim Zoobotânico de Dois Irmãos — atual Parque de Dois Irmãos. Foi um dos responsáveis pela criação da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), onde introduziu as disciplinas Ecologia Conservacionista (primeira do gênero ministrada no Brasil) e Desertologia, além de ter exercido também o cargo de reitor (1963). Professor, engenheiro agrônomo e ecólogo conservacionista, Vasconcelos Sobrinho foi membro da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), sendo um dos primeiros cientistas a alertar sobre a formação de deserto em algumas regiões brasileiras. O problema da desertificação passou a ser mais destacado a partir da década de 1970, quando Vasconcelos Sobrinho alertava que estaria surgindo no semi-árido brasileiro um grande deserto com todas as características ecológicas que conduziriam à formação dos grandes desertos hoje existentes em outras regiões do globo, problema este que resultou no convite para participar da Conferência das Nações Unidas sobre Desertificação em Nairóbi, no Quênia. Também muito se empenhou na campanha pelo reflorestamento do pau-brasil e fundou a Estação Ecológica de Tapacurá (UFRPE).
    Publicou mais de vinte trabalhos, todos sobre ecologia e conservação dos recursos naturais.
    João Vasconcelos Sobrinho faleceu no dia 4 de maio de 1989, no Recife.
    Em sua homenagem, a Agência Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (CPRH), desde 1990, criou o Prêmio Vasconcelos Sobrinho, um reconhecimento ao homem que, através de seu trabalho e ideal, despertou o sentimento de amor à natureza, disseminando a prática de ações objetivas de cuidados com o meio ambiente.
    Também em sua homenagem, existe, na Serra dos Cavalos, em Caruaru, Pernambuco, o Parque Ecológico Professor João Vasconcelos Sobrinho, reserva estadual de Mata Atlântica, com uma área de brejo de 359 hectares.
    Cultuar a obra de Vasconcelos Sobrinho é defender o futuro de Pernambuco.
    Manuel Correia de Andrade, historiador e geógrafo.
    Fontes: Fundação Joaquim Nabuco e MMA.

    ResponderExcluir
  2. Professoras Lourinalda e Ednilza(UAST/ST/UFRPE)20 de abril de 2009 20:55

    Exclusivamente brasileiro o Bioma Caatinga ocupa cerca de 800 mil Km2do território Nacional e abrange os estados do Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte,Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Bahia e norte de Minas Gerais. Tem como principal característica diferentes fitofisionomias, destacando áreas xéricas e mésicas, sendo considerado um Mozaico de formações vegetais distintas e com uma extraordinária especialização adaptativa. Possui um fauna muito particular e um povo com uma grande riqueza cultural como os quilombolas, índios e claro, o nosso Vaqueiro. Todavia, esse é o bioma menos protegido, menos conhecido e o mais sensível a ação indiscriminada do homem. As principais causas da sua destruição se refere principalmente ao desmatamento para retirada de lenha e com isso abastecer os fornos para produção de carvão e fornos da indústria do gesso, além da caça predatória, as queimadas, manejo indevido de caprinos e bovinos inserido de forma extensiva na região, bem como formas indiscriminada do uso dos seus recursos naturais. No ano de 2003 em uma iniciativa do Ministério do Meio Ambiente, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, assinou o decreto e instituiu o dia 28 de abril o Dia Nacional da Caatinga, uma homenagem a um dos grandes ambientalista pernambucano, o pesquisador da Universidade Federal Rural de Pernambuco, professor João Vasconcelos Sobrinho que nasceu no dia 28 de abril de 1908, na cidade de Moreno - PE. Esse grande homem deixou uma obra de grande importância para os brasileiros e é lembrado como um exemplo de sabedoria, generosidade e respeito pela vida nas suas diferentes organizações em especial aos seres da Caatinga. O agrônomo, ecológo conservacionista e professor João Vasconcelos Sobrinho foi pioneiro na defesa do meio ambiente e também o primeiro a alertar sobre os problemas da desertificação no nosso semi-árido, considerado assim, por todos, um grande Mestre. Esse grande Mestre da nossa história em defesa ao meio ambiente deixou para nós uma missão: Temos que cuidar bem do nosso semi-árido das nossas Caatingas e os seres que nela habitam com respeito e sabedoria. Com essa missão estamos programando várias atividades que acontece nos dias 22 a 28 de abril de 2009 em comemoração ao Dia Nacional da Caatinga no município de Serra Talhada, são elas: palestras em escola privadas e públicas; exposição de trabalhos dos alunos de graduação de biologia da UAST/UFRPE e alunos do ensino fundamental e médio na praça principal da cidade; exibição do filme sobre a vida de Vasconcelos Sobrinho e filme sobre exemplos de como podemos cuidar bem do Bioma, palestras ministradas pela comunidade local sob o tema: Um Momento de Reflexão Sobre a Caatinga Pernambucana. Toda comunidade está convidada a participar desta discussão. Neste momento será oportuno para discutir a formação do subcomitê da Reserva da Biosfera Caatinga do Sertão do Pajeú, já que este evento esta sendo coordenado pela Profa. Lourinalda L. D. da Silva Selva de Oliveira, membro do
    CERBCAA-PE e pela Profa. Ednilza Maranhão, coordenadora do grupo de pesquisa
    Conservação e Uso Sustentável da Biodiversidade da Caatinga (CUSBCAA).

    ResponderExcluir
  3. SÚPLICA DA NATUREZA

    Não faças isso comigo não, criatura, eu sou a tua mãe. Sou tão boa para tu e para teus irmãos todos.

    Faça, não. Sofro. Sofro muito. Tu fazes isso e eu vou me entristecendo, murchando e a cada momento perdendo vigor, energia, morrendo. Cada dia que passa tu vais fazendo assim: maltrata hoje, maltrata amanhã, todo dia, toda hora, sem parar um segundo, sequer. E olha que eu não te nego nada. Tudo que tens, eu te dei. Tudo que queres, eu te dou. Dou para você e meus outros filhos todos. Até os que nada pedem, não choram, nada dizem, sequer pensam, pois juízo não têm.

    Eu quero continuar a servir a vida inteira, o tempo todo. Dia e noite, sem nunca parar.

    "Papai" me criou ensinando a cuidar de vocês todos, preocupado no aperfeiçoamento, na glória, no bem. Até "os outros", os que vivem matando para viver, "respeitam" o que "Papai" ensinou. Só comem o tanto certo, sem acabar com a espécie da qual é "irmão". Aliás, um serve ao outro, constituindo uma família grande, bonita, harmoniosa, unida, repleta de tudo que é bom.

    Vamos permanecer coesos, pensando um no outro. Não é preciso pensar em mim, não. Eu dou o meu jeito. "Papai" me dá forças. Pense em teus irmãos. Pense nos meus netos, nos teus filhos. Tu já pensastes se Adão e Eva não tivessem existido? Então, como você quer acabar comigo? Só eu tenho tudo que tu queres e nada te cobro, nada te peço. Só quero paz, respeito, sensibilidade.

    Até a inteligência que tu tens e por meio dela me agrides, eu te dei. A força, a cor, a beleza, a saúde, o pão do sustento, a luz, a energia, o oxigênio de tocar o pulmão. A água de beber, coisa tão gostosa, tão boa. Eu te faço dormir, te faço até sonhar um sonho lindo, em lugar gostoso, de paisagens lindas, com amor. Até amar eu te ensinei. Eu te ensinei como fazer o teu próprio filho, a continuação de cada um.

    Até filho meu que não é irmão seu, te serve tanto. Te ajuda. Sou eu que mando ele te servir. E você, o que me dizes, o que falas? Diga em que errei, onde errei. Eu te eduquei com amor, respeito e ordem. Te dei do vigor da força ao repouso eterno do cansaço que a vida traz.

    Eu sou a única mãe que gera, pare, cria e depois recolhe ao ventre. A minha placenta é eterna e o meu leite nunca seca. Meu prazo de procriação está nas suas mãos, filho querido. Eu quero continuar parindo, criando, frutificando, te dando irmãos. Fecunda para tudo, para todos e para o bem.

    Eu quero ver crianças a sorrir.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Alô amigos(as)caatingueiros(as). Neste espaço deixem seus comentários sobre as notícias e sobre o BLOG.

Postagens mais visitadas deste blog

O risco da caatinga virar um deserto"A vegetação típica do Nordeste está literalmente sumindo do mapa

Rio São Francisco - A extinção da caatinga (ESTUDO)