O Município de Serra Talhada (PE) deverá ganhar Unidade de Conservação Ambiental.

Foto: Por Jaime Rodrigues Magalhães

O Comitê Estadual da Reserva da Biosfera da Caatinga - CERBCAA/PE 
vem participando ativamente junto a Sectma, CPRH, Prefeitura do município, UAST/UFRPe e outros diversos parceiros na implantação da primeira Unidade de Conservação no Bioma Caatinga.


"Um refúgio de caatinga a ser protegido no Sertão Serra Talhada .
Ambientalistas querem que espaço seja 1ª unidade de conservação do município".

Por: Júlia Kacowicz (Diário de Pernambuco)


Numa região marcada pela produção de lenha e gesso, estudos recentes identificaram um novo refúgio no Sertão do Pajeú pernambucano. São cerca de mil hectares de caatinga em Serra Talhada, a 415 quilômetros do Recife, que abrigam uma grande diversidade de animais e plantas.
Estudo preliminar identificou presença de espécies ameaçadas de extinção na área de cerca de mil hectares na região do Sertão do Pajeú
Se o sertanejo é um forte, há boa chance de que essa força tenha inspiração nessa terra, teimosa e resistente. Um estudo preliminar identificou, inclusive, a presença de espécies ameaçadas de extinção e endêmicas (que só existem nesse ecossistema). O próximo passo é conseguir a proteção desse ambiente raro em uma vegetação que já teve quase 50% de sua cobertura original desmatada, segundo o Ibama.
A pedido de entidades ambientais, como a Reserva da Biosfera da Caatinga e a Associação Pernambucana de Defesa da Natureza (Aspan), a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente (Sectma) iniciou os trâmites para transformar o espaço na primeira unidade de conservação (UC) do município. As equipesfizeram vistorias na região e estão unificando os estudos desenvolvidos por universidades. A intenção é encaminhar um decreto para o governador Eduardo Campos e criar a UC Serra Talhada até o fim do ano. A bióloga e representante do comitê da Reserva da Biosfera, Ednilza Maranhão, destacou que as pesquisas preliminares revelaram a presença de uma área florestada significativa.
"Registramos mamíferos de grande porte, como veados, onças e macacos pregos, alguns constantes na lista oficial de animais ameaçados de extinção", ressaltou Ednilza. Composta por um complexo de serras, a área ainda faz parte da Fazenda Saco e da Mata da Pimenteira. Em alguns pontos, a destruição é evidente. "É comum encontrar fornos clandestinos para queima de lenha ou caminhões transportando madeira nativa", citou. A especialista em anfíbios e répteis também alertou que a caça vem aumentando no local, o que faz das medidas de proteção ainda mais urgentes. "Além da biodiversidade e beleza cênica, a área vem sendo objeto de estudos de várias universidades. Sua conservação é muito importante", enfatizou, acrescentando que só uma pequena parte da diversidade da caatinga é conhecida. E pode permanecer "desconhecida" caso não seja protegida.
O ecossistema da caatinga é único no mundo, presente apenas no Nordeste e no norte de Minas Gerais. "Esse é um bioma carente de informações, algumas espécies podem ter desaparecido para sempre", destacou Ednilza. O professor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) Marcelo Tabarelli acredita que mais de 40% do ambiente ainda não foi pesquisado em profundidade e, o mais grave, menos de 2% de todo o bioma está protegido em unidades de conservação. As estimativas são de que pelo menos 932 espécies da flora já foram registradas, sendo 3809 endêmicas. Quanto à fauna já foram identificadas 148 espécies de mamíferos, 348 de aves e 154 de répteis e anfíbios.
O secretário de meio ambiente do estado, Hélvio Polito, informou que o grupo de trabalho está unificando as informações para definir em que tipo de unidade de conservação a área se enquadraria. Entre as classificações a unidade de conservação pode ser de proteção integral, ficando restrita a pesquisas, ou de uso sustentável, permitindo usos como plantio e moradia. "Precisamos analisar e amadurecer o projeto. Nossa intenção é garantir a conservação da biodiversidade da melhor maneira", disse. Outro ponto que precisa ser definido é a área de abrangência da UC que, a princípio, poderá variar entre 300 e 1 mil hectares.

O que é refúgio do sertão

- Uma área situada entre a Fazenda Saco, a Mata da Pimenteira e o complexo de serras do município de Serra Talhada

- Com uma vegetação composta, basicamente, por caatinga, a região abriga uma diversidade de fauna e flora com espécies ameaçadas de extinção e endêmicas (que só existem lá)

A fauna

- Preguiça (Polychrus acutirostris)

- Lagarto rabo azul (Micrablepharus maximiliani)

- Bem-ti-vi (Pytangus sulphuratus)

- Pica-pau-de-oliva (Veniliornis passerinus)

- Suçuarana (Puma concolor)

A flora

- Aroeira

- Imburana

- Bromélias

- Orquídeas

Fonte: Proposta do Comitê Estadual da Reserva da Biosfera da Caatinga - CERBCAA/PE
(Fonte: Diário de PE - Vida Urbana - Um refúgio de caatinga a ser protegido no Sertão)
Leia também as memórias do CERBCAA/PE sobre a implantação de UCs na Caatinga em:              

Comitê da Caatinga se reúne em Serra Talhada e Triunfo
Comitê reivindica criação de UCs na Caatinga
 CERBCAA/PE se reúne com Direção da CPRH
Nova reunião do CERBCAA/PE com a CPRH


Comentários

  1. Muito bom ver as boas lutas sendo encaminhadas e inspirando boas resoluções! Que o Governo do Estado legitime o desejo popular! Um abraço a todos e fico na torcida pela Caatinga e por melhores dias pro nosso Planeta!

    ResponderExcluir
  2. Francisco Barreto31 de julho de 2010 17:52

    Prezados Colegas



    Parabenizo a todos pela vitoria.



    Também me junto aos que reconhecem o esforço desse grupo, pela conservação em seu sentido mais amplo das Caatingas.



    Como colaboração gostaria que refletissem: um desafio que temos nas nossas Caatingas, é termos ambientes para podermos difundir as boas praticas de Manejo, podermos realizar coleta de material seja para pesquisa ou para trabalhos de fomento e de recuperação de áreas degradadas, além preservarmos a biodiversidade.



    Uma das categorias de U.C, que tem um perfil adequado para essas demandas é a Floresta Municipal, Estadual ou Nacional, conforme for.



    Assim, como nossa luta é pela interação do homem com o meio sugiro , que a Nova Unidade de Conservação da Caatinga em Pernambuco, pelo seu desafio de proteger e conservar a biodiversidade e ao mesmo tempo de promover o uso sustentável, interagindo com seu entorno, seja a PRIMEIRA FLORESTA ESTADUAL do Nordeste.



    Caso precisem de uma colaboração estou a disposição, em minha carreira profissional, já tive a oportunidade de ficar a frente da diretoria de florestas do IBAMA, onde se davam os processo de criação e gestão dessa Categoria.



    Adianto que nos planos de manejo da Floresta, existem áreas, para lazer, pesquisa e de preservação, tendo pois, as vantagens das categorias de proteção integral associada as de uso sustentável.



    Abraços a todos e mais uma vez parabéns.

    Francisco Barreto Campello
    Assessor Técnico
    Projeto Conservação e Uso Sustentável da Caatinga
    MMA/PNUD/GEF/BRA/02/G31
    (81) 3441.5075 - R 225 ou 8759.1350

    ResponderExcluir
  3. Parabens Ednilza,
    Parabens Serra Talhada,
    Parabens o Sertão Pernambucano,
    Parabens à Equipe da UAST.

    Abraços

    ResponderExcluir
  4. Meu grande amigo

    Parabéns a você também meu querido, parabéns a todos como você mesmo destacou e principalmente ao nosso comitê Caatinga!!!!
    Um grande abraço.
    Saudades!

    ResponderExcluir
  5. Prezados,
    Como os demais colegas, parabenizo a todos e em especial, aos que
    atuam mais constamente no comitê Caatinga.
    Elcida de Lima Araújo

    ResponderExcluir
  6. Caro Marcelo,

    Parabéns pelos avanços em relação a proteção da Serra Talhada.

    Um abraço,

    Rodrigo

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Alô amigos(as)caatingueiros(as). Neste espaço deixem seus comentários sobre as notícias e sobre o BLOG.

Postagens mais visitadas deste blog

O risco da caatinga virar um deserto"A vegetação típica do Nordeste está literalmente sumindo do mapa

Rio São Francisco - A extinção da caatinga (ESTUDO)